31/08/2009

A língua japonesa que os japoneses não sabem...


Quem me conhece, sabe que escolhi estudar a língua japonesa por gostar de idiomas e, no início, por mera curiosidade. Não foi pelos motivos que a maiora das pessoas pensam. Não foi porque eu gostava de animação japonesa. Não foi porque eu tinha uma namorada japonesa. Não foi por causa dos mangás. Não foi porque eu gostava de robótica. E muito menos, por causa da minha família....até pq acho que minha avó teria ficado mais feliz se eu tivesse aprendido italiano mesmo. Mas enfim, eu sempre gostei de idiomas e quando vi um livro escrito em japonês, foi quando me acendeu uma luz e decidir aprender, para ver qual era a do idioma. E gosto muito de estudar japonês até hoje.




Apesar disso, nunca me considerei um maníaco. Maníaco? Sim! Quando se fala maníaco em japonês é aquele cara que só estuda as curiosidades do idioma e coisas que no dia-a-dia, nem os próprios nativos sabem e nem fazem questão de saber e continuam vivendo normalmente sem saber. Um exemplo clássico é aquele cara que faz questão de estudar ideogramas com muitos traços e que ninguém escreve normalmente. O cara se gaba por saber escrever em ideograma “chuucho” (hesitação) ou de “bara” (rosa) ou ainda “yuuutsu” (depressão).




Se for mais maníaco ainda, ele estudou e sabe escrever ideogramas que até existem, mas normalmente não são usados no dia-a dia, como os de “wasabi” (raiz forte) ou “noren” (cortina comum na entrada de restaurantes).


Saber não é o problema. Acho até interessante. Aliás eu me amarro nos programas de quiz em que questões como estas são de praxe. Mas o maníaco que se preza, ele não se contenta em simplesmente saber ler quando precisar ler – que é o que a maioria faz! Ele desafia os outros (inclusive nativos) e ainda se gaba por ele saber escrever. Esse é o verdadeiro maníaco! Outro tipo bem comum é aquele que faz perguntas cujas respostas sabe-se lá onde e quando ele vai precisar usar. Lembro que quando eu estava ensinando a contagem em japonês – para quem não sabe, a maneira de contar depende do objeto que se está contando – e um aluno levanta a mão e pergunta: Como que conta “parlamento” ? Sem comentários...


Mas hoje li sobre um livro que conta um pouco desse tipo de estudante de japonês. Pelo que me pareceu, o livro não chega a satirizar, mas mostra os diversas perguntas que um estrangeiro faz a um japonês e que muitas vezes, nem mesmo o nativo sabe a resposta. Ao mesmo tempo o livro serve como uma “redescoberta” do próprio idioma japonês por parte dos japoneses. O livro se chama 日本人の知らない日本語, algo como A Língua Japonesa Desconhecida Pelos Próprios Japoneses. Eu li sobre o livro e agora estou louco para comprá-lo. A editora é a mesma do famosíssimo best seller ダーリングは外国人・Darling wa Gaikokujin (Meu Amor é Estrangeiro, na tradução livre). O livro é em quadrinhos e me parece ser bem cômico. Pelos títulos dos capítulos parece ser bem interessante também. "Perguntas simples, mas super difíceis, feitas por estrangeiros", "Isto não se usa em japonês", "Ah! Então era Assim!", "Linguagem Polida, mas Errada" são alguns exemplos.


No site do amazon.co.jp, onde o livro já está disponível, é possível ler algumas páginas. Muito engraçadas (Japanese Only). A história em quadrinho que ilustra a contra-capa mostra bem o espírito do livro e revela que nem sempre o fato de ser nativo significa ser profundo conhecedor e excelente professor da seu próprio idioma!



Tradução :

Na Aula de Japonês

1. Ué? Estranho Kim...suas notas sempre foram excelentes.

2. Você teve muitos erros. Aconteceu alguma coisa?

3. %$#¨$%$ ...

4. - Foi um amigo japonês que fez tudo para mim!

- Traga esse sujeito aqui!









28/08/2009

Deu no jornal japonês...

Um dos jornais esportivos mais conhecidos aqui do Japão, o Sponichi Annex, publicou em japonês claro duas matérias sobre recentes fatos ocorridos no futebol brasileiro. Um foi o caso do jogador do Vasco, Aloísio, que, na última terça-feira dia 25, sofreu traumatismo craniano, na vitória sobre o Brasiliense por 1 a 0 e ainda por cima ficou sem respirar por alguns segundos por conta de um chiclete. Depois do susto, ele teria dito: “Chiclete, nunca mais!”. O Vasco anunciou que Aloísio passa bem.


Abaixo segue a reprodução da matéria publicada no jornal japonês:


どうなってんだブラジル…試合中にガムで窒息
バスコ・ダ・ガマ(ブラジル2部)のFWアロイジオが試合中にガムをのどに詰まらせて窒息する騒動があった。25日のブラジリエンセ戦で相手選手と競り合った際に頭を強打して意識不明に。駆けつけた医師が異変に気付き、気道に詰まっていたガムを取り出した。「幸いにも問題にすぐ気付いたが、とても危険な 状況だった」と医師。アロイジオは「こんな恐ろしい経験は初めてだ。もうガムはいらない」と漏らしたが、試合中でなければ問題ないのでは…。

Vocabulário :
窒息・chissoku・asfixiado
のどに詰まらせる・nodo ni tsumaraseru・engasgar
意識不明・ishiki fumei・inconsciente
医師・ishi・médico

A outra matéria falava da renúncia de René Simões, após o susto que o técnico da Portuguesa levou, também na última terça, quando torcedores armados invadiram o vestiário para protestar pela derrota do time no Vila Nova na Série B do Brasileiro.

Em japonês claro

どうなってんだブラジル…クラブ幹部が選手襲撃
ポルトゲーザ(ブラジル2部)のレネ・シモエス監督(56)が銃で選手を脅した幹部にあきれ、辞任した。25日のビラノバ戦で6連敗した直後に銃で武装した男性4人がロッカーに侵入。選手をののしるなどした。リーダーはクラブ幹部で非番の警官が同行。98年W杯フランス大会で日本を破ったジャマイカを指揮したシモエス監督は就任2週間で辞任を決意し「ここはいったいどういう世界なんだ」と吐き捨てた。

Vocabulário :

監督・kantoku・técnico ou diretor
銃・juu・revólver
辞任・jinin・renúncia
決意・ketsui・decisão

FRASE do DIA:
"Chiclete nunca mais"
「もうガムはいらない」

26/08/2009

UM único UM


Entre notícias traduzidas e outros posts, tem muito leitor que me pede para escrever coisas mais do meu dia a dia como ocidental aqui no Japão. Tentarei então fazê-lo sempre que possível, mas nunca deixando de traduzir algumas notícias mais curiosas e, principalmente, aquelas que mostram a realidade nua e crua do Japão e do povo japonês de hoje. Viver no Japão tem lá suas peculiaridades, aventuras e coisas que um brasileiro jamais se imaginaria passar por tal experiência, principalmente, aqueles que vivem no Brasil. Foi o que aconteceu comigo hoje. Há cerca de dois ou três meses, minha empresa informou aos funcionários que deveríamos abrir nossa conta-salário em um outro banco. O Recursos Humanos gentilmente forneceu os tais formulários. Nós preenchemos, na empresa mesmo, e os devolvemos a eles, sem mesmo precisarmos ir ao banco. Até aí, tudo bem. Acontece que hoje, passados dias e dias, meses - a ponto de eu até ter esquecido que eu havia preenchido um formulário de banco - , o RH me chama, dizendo que e o a carinha do banco estava na empresa e que eu deveria reescrever meu formulário porque eu havia preenchido algum número errado!!!


Fiquei pensando que número eu poderia ter escrito errado...mas não lembrava de jeito nenhum. Fui até lá e o carinha do banco, engravatado e cheio das papeladas, me aguardava em uma salinha, sozinho. Pedi lincença, me sentei e disse: Parece que eu preenchi algo errado. Ao que ele gaguejou, mas não confirmou....apenas me deu o formulário em branco e me pediu para preencher novamente. Eu , que a-do-ro preencher esses formulários daqui que so faltam pergurtar quantas vezes você toma banho, disse a ele que eu gostaria de ver primeiro onde eu havia errado. Ele, sem jeito, me mostrou...........



AVISO: Provavelmente, se você mora no Brasil, levará um tempo para assimilar o que é isso, mas quem mora no Japão logo entenderá !! Lá vai hein: Ele disse que eu havia escrito o número 1 (UM) de um modo "diferente"... Outra pausa para um quiz!! Agora eu lhes pergunto, que número é este?


Pois bem, se você respondeu 12, você não é japonês (... e sabe discernir as coisas, não tem preguiça de pensar... e por aí vai) !! EXPLICO: Aqui no Japão há um modo único de se escrever os números e NÃO SÃO raras as vezes em que é pedido para que se escreva CONFORME a regra !!! Quem nunca veio ao Japão, mas já prestou exame de proficiência deve saber bem disso! Por se tratar de um formulário japonês, há em uma das folhas do formulário um quadro com exemplo de como devem ser escritos cada numeral!!! É verdade!! A foto em seguida mostra a maneira mais correta - e a que eles aceitam - para escrever os números aqui no Japão. Nada de base no UM, nada de DOIS de patinho...nada!Nada!Nada!Esquece! Esquece!


Bom, eu disse a funcionária do RH que se eu não morasse tanto tempo no Japão, eu teria ficado “P” da vida em ter de preencher tuuuuuuuuuudo de novo, só por causa de um número 1 (UM) – quem não estava errado, apenas não estava conforme o 1 (UM) que o país inteiro escreve e a única forma que eles são capazes de saber ler!! Eu mesmo já passei por isso em prova, em banco etc. Engraçado foi no dia em que eu fui ao banco como intérprete de uma colega brasileira e tive que traduzir esse pedido para reescrever os números de novo porque a mulher do banco não havia aceitado e tinha pedido para a minha colega reescrever. Ela caiu na gargalhada quando eu disse que o UM estava diferente e o DOIS tbm. Eu já me acostumei, mas tive que rir. E ela acabou reescrevendo. E eu disse a ela: 日本へようこそ!(Bem-vinda ao Japão!!)


PS.: Esta na verdade foi nada mais nada menos que a terceira vez que o tal banco me fez preencher o formulário de novo!!! E sabem porque eles não aceitaram a primeira versão?Porque eu havia preenchido com caneta AZUL!! Isso mesmo AZUL, não VERMELHA. Mas ele disse que era para eu ter preenchido com caneta PRETA! AZUL, não! Só PRETA!!


Acredite...se quiser !



23/08/2009

Brasil vence Grand Prix no Japão


Hoje, segunda-feira, logo pela manhã, acessei os jornais japoneses para saber se o Brasil havia conquistado o octa no vôlei. Isso porque ontem eu até começei a assistir à partida pela tevê, mas acabei pegando no sono e dormido sem ver o resultado. Nos dois principais jornais que costumo ler, Maichini e Asahi, nada de vôlei!! “Bom sinal!”, pensei. Nos cadernos de esportes e nas páginas principais, estavam somente os japoneses Yuki Fumi(村上幸史), que conquistou uma medalha de bronze inédita para o Japão na prova de lançamento de dardos (やり投げ・yarinage), e a corredora Yoshifimi Ozaki(尾崎好美), que chegou em segundo na prova da maratona (マラソン・marason)e também trouxe uma medalha inédita para o Japão.
Fora isso, nada de vôlei...

Mas tenho o costume de ler O Globo Online também, e foi aí que tive a comprovação do que eu já estava suspeitando. As brasileiras haviam vencido as japonesas aqui no Japão por 3 sets a 1 !!! Brasil sil sil !!! Mas é interessante assistir à uma partida como essa, transmitida pela tevê do adversário. A parte ruim aqui do Japão é que se o Brasil joga com a Rússia, , por exemplo, normalmente não é transmitido, e nós brasileiros - e russos tbm -simplemente ficamos na vontade e à espera do resultado. Felizmente, o Japão estava na final e com isso eles transmitiram a partida. No caso do vôlei, esporte em que o Brasil se destaca, os japoneses respeitam muito a seleção brasileira.

A todo instante eles elogiavam as jogadoras e o time brasileiro. Adjetivos como “equime mais forte do mundo”, “rainhas”, “poderosas” etc eram constantemente usados. Lembro de um lance em que a jogadora japonesa Inoue bloqueou uma corta da Sheila. Nossa, esse lance levou as jogadoras e o locutor ao delírio! O locutor japonês exaltou a jogadora japonesa, mas sem desrespeitar a brasileira, ao dizer: Inoue!!!!! Inoue impede a poderosa Sheila de seguir !!!! E a cada lance em que Inoue aparecia, ele lembrava que ela bloqueou uma cortada da Sheila!! Também achei interessante o fato de o locutor dizer que jogadora Michie – se não me engano – era brasileira e terceira geração descendente de japoneses. Bom, era mais para deixar registrada a vitória do Brasil em território japonês!



Parabéns Meninas!! Parabéns Equipe Técnica!! Parabéns BRASIL!!!

20/08/2009

Arte na Plantação de Arroz

Ontem eu vi no Yahoo Japan! uma foto de uma plantação de arroz. Calma! Todo mundo sabe que japonês sem arroz é como americano sem hambúrguer com batata frita, e plantação de arroz é a coisa mais fácil de se ver no Japão. Ainda mais quem mora no interior. Mas era na verdade a foto do que eles chamam de 田んぼのアート・tanbo no aato・ Arte no Arrozal!! É impressionante!! Todo ano é de lei sair uma matéria dessas nos jornais e na tevê. Cada ano, eles fazem um design diferente. Imagino que ao vivo e a cores deve ser mais bonito ainda. Talvez, para quem mora aqui no Japão, esse tipo de arte já não deve impressionar tanto, pois como eu falei, vira e mexe a gente vê uma foto dessas. Mas não sei se fora do Japão essa forma de expressão artística tão peculiar é divulgada. Enfim, chega de blá, blá, blá. Vamos às fotos de alguns dos mais recentes trabalhos feitos nas plantações de arroz em algumas partes do Japão. As fotos que vocês verão foram gentilmente...malocadas !! Espero que gostem!!

Foto de uma plantação de arroz, aparentemente, comum

...vista de cima !

Vejamos outros desenhos !






E para finalizar, um feito especialmente para o Muito Japão!!!!!!!! hehe...


PALAVRA DO DIA:

田んぼ(田圃)・tanbo・arrozal

EX.:

二人は昨夜何してたの?田んぼの中…

futari ha yuube nani shiteta no? tanbo no naka…

Os dois ontem à noite estavam fazendo o que dentro do arrozal?

Rapaz "morto" "ressuscita" ao ouvir a voz da mãe


Desculpem, eu juro que tento evitar de traduzir tantas notícias, mas tive que rir com essa que li hoje!! Não resisti em compartilhar com vocês leitores! O título era: Depois de preso, homem se finge de morto por 2 horas e meia e ao ouvir a voz de sua mãe, ele “ressuscita”. (risos)

Segundo a matéria publicada hoje no jornal Asahi, no dia 19, por volta das 23h, uma moto com três pessoas corria em zigue-zague. A polícia logo começou a seguir a moto. De repente, o cara da moto direciona a moto para cima da moto da polícia e bate de propósito! Mas calma! O melhor ainda está por vir...

... a moto cai e dois dos três caras que estavam na moto fogem correndo. O terceiro carinha, que sobrou no local, é então preso pela polícia. Na mesma hora, “ele fecha os olhos e se coloca imóvel”. Segundo a reportagem, com isso (pasmem!) o cara não só foi levado para o hospital como também foi submetido a exames, inclusive de cateterismo!!! Está no texto do jornal, eu juro! (para quem lê japonês: 病院に搬送され、尿道にカテーテルを挿入されるなどの検査を受けた). Os exames não revelaram nenhuma anormalidade! Mas mesmo assim, até o momento, o carinha esteve sempre sem mexer um fio de cabelo!

Depois disso, o levaram para a delegacia, onde foi preciso 5 ou 6 homens para carregá-lo para dentro da sala de interrogatório. Mesmo colocando-o na cadeira, ele ficava mole. Mas de repente, da sala ao lado, ele ouve a voz de sua mãe que havia sido chamada na delegacia e, quando ela diz “é meu filho”, não é que, como um Pinóquio que recebeu um toque de varinha mágica, o carinha abre os olhos e começa a se mexer!!!

Mas essa história não poderia terminar sem o belo comentário, a brilhante “explicação” do protagonista sobre o fato! Lá vai hein!

「眠たかったから寝ていた」
“Eu estava com sono e acabei dormindo”



JAPONÊS・日本語


逮捕後2時間半死んだふり、母の声で「生き返る」 堺

堺市堺区で19日夜、パトロール中の大阪府警の警察官のバイクに自分のバイクをわざとぶつけたとして、男が府警に公務執行妨害と傷害容疑で現行犯逮捕された。府警によると、男は逮捕後2時間半死んだふりを続け、取り調べを拒んだが、母親(45)が駆けつけると、「生き返った」という。堺署の発表によると、男は職業不詳の松村雄二容疑者(22)=堺区大浜北町3丁。19日午後11時半ごろ、堺区大町東2丁の路上で3人乗りのバイクを蛇行運転し、追跡してきた警察官のバイクに接触して転倒させ、軽傷を負わせた疑い。同署によると、同乗の2人は逃走、松村容疑者はすぐ取り押さえられたが、同時に目を閉じ路上に倒れ込み動かなくなった。病院に搬送され、尿道にカテーテルを挿入されるなどの検査を受けたが、結果は異常なし。その際も身動きしなかったという。その後にパトカーで署に連行され、警察官が5、6人がかりで取調室に運んだが、いすに座っても脱力したまま。しかし隣の部屋から、呼び出された母親の「うちの子です」との声を聞くと、目を開けて動き出したという。松村容疑者は「眠たかったから寝ていた」と供述しているという。



Brazilian Day in JAPAN !

Uns chamam de Festival do Brasil. Outros, de Brazilian Day. Deve ser para associar ao famoso evento brasileiro realizado todos os anos nos EUA. De qualquer forma, já é tradicional no Japão também a realização do Festival do Brasil / Brazilian Day no Parque Yoyogi. Um evento com cara de Brasil (fora o fato que quando dá a hora certa, eles expulsam o povo do parque) com música, dança e barracas de comida e de empresas brasileiras presentes no Japão! É impossível ir sem encontrar algum brasileiro conhecido!!

Todos os anos o evento tem ficado cada vez melhor e mais conhecido. Assim como o evento nos EUA, o do Japão também conta com a participação de artistas brasileiros que vêm direto do Brasil para se apresentarem aqui!! Ano passado o grupo Olodum e o cantor Jorge Benjor agitaram a galera!!




Este ano o evento já está com data marcada. Dias 5 e 6 de setembro. Para este ano, foram convidados a banda Jammil e Uma Noites e o apresentador Serginho Groisman. A programação do evento deste ano você confere do site oficial do evento, disponível em português e japonês! Clique aqui.




Foto: Mônica Murakami

19/08/2009

Fundação Japão de Quioto exibe filmes sobre cultura japonesa em inglês

Aí vai uma dica para quem mora em Quioto ou para quem vai estar por lá entre os dias 1 de setembro e 13 de novembro. A Fundação Japão de Quioto (国際交流基金京都支部) promoverá neste período a exibição de filmes sobre a cultura japonesa, com narração em inglês. Serão 50 vídeos - todos do acervo da Fundação Japão. Serão apresentados 2 filmes por dia. E o melhor: a entrada é GRATUITA !! Para mais informações sobre que filmes serão exibidos e em que dia, acesse o site da Fundação Japão. Clique aqui. Horário, eles só dizem que as exibições começarão a partir das 15h. Ah sim! A entrada será por ordem de chegada e se lotar, pode ser que você fique na vontade!





京都支部では、日本文化映画上映会として、国際交流基金(ジャパンファウンデーション)が所蔵する英語ナレーション付きの日本紹介文化映画のうち50本を 9月から11月にかけて計25回(1日2本ずつ)上映します。


PALAVRA DO DIA:

入場無料・nyuujou muryou・ ENTRADA FRANCA

Comentários RESPONDIDOS!

Foram respondidos os comentários dos três posts anteriores! Se você não comentou e quer deixar seu comentário, sem problemas! Sinta-se à vontade!! Assim que der, eu responderei!Obrigado a todos que comentaram!

17/08/2009

Preso em Aichi ladrão de van...

Para quem lê japonês, pelo título já dá para ter uma ideia do que aconteceu! Só que, ao contrário do que muita gente deve estar pensando, o cara de pau é um japonês, e não um brasileiro! A polícia de Handa, na província de Aichi, prendeu no último dia 16, um japonês de 40 anos, desempregado e sem endereço fixo registrado - artigo japonês desse tipo sempre traz essas informaçôes sobre a "residência" e a "ocupação" do suspeito - que roubou uma van no no dia 15. Segundo a matéria, publicada no site do jornal Asahi, um policial identificou o suspeito no dia seguinte, dentro da van e o interrogou. O nipotiozinho confessou que havia sido ele o autor do roubo. Mas o melhor dos crimes daqui do Japão é o que os culpados dizem quando abrem a boca para falar!! Segundo esse tiozinho, ele roubou a van simplesmente porque queria dormir dentro dela !!!

JAPONÊS・日本語

愛知県警半田署は16日、住所不定、無職沖館利晴容疑者(40)を窃盗の疑いで逮捕したと発表した。半田署によると、沖館容疑者は15日午後8時半ごろ、愛知県碧南市内の月決め駐車場から市内の自営業の男性(57)所有のワゴン車(時価150万円)を盗んだ疑いがある。16日午前、同署員がパトロール中にワゴン車を発見。沖館容疑者を職務質問したところ、容疑を認めたため逮捕した。ワゴン車の車内はキャンピングカー仕様に改造されており、沖館容疑者は「寝床代わりに使いたかった」と話しているという。

PALAVRA DO DIA:

無職・mushoku・desempregado

Ex.:

お父さん、紹介する。彼氏。32歳で無職。お父さん会えて光栄だと言ってたよ。


otousan, shoukai suru. kareshi. 32 sai de mushoku. otousan aete kouei da to itteta yo.


Pai, deixa eu te apresentar. Meu namorado. Tem 32 anos e está desempregado. Ele disse que é uma honra encontrar o senhor.

13/08/2009

Você tem "meishi"?

Ontem conheci um programa muito interessante. Muito não, só interessante. Trata-se de um programa voltado aos jovens que recém ingressaram no mercado de trabalho japonês. No programa, chamado Mezase! Kaisha no Hoshi, uma especialista ensina algumas etiquetas necessárias para trabalhar em uma empresa. O maneiro é que além de trabalhadores na vida real que participam ao vivo, os novos salarymen e office ladies podem enviar emails com dúvidas. As dicas vão desde de como sentar adequadamente, até como se expressar etc e tal.


Ontem o tema foi troca de cartões de visita! Para os japoneses o programa é sobre etiqueta em empresa, mas para nós estrangeiros, acaba servindo também como um programa de cultura japonesa nos negócios. Para quem não sabe, cartões de visita na cultura japonesa são hiper, superessenciais, im-pres-cin-dí-veis!! Em japonês, são chamados de meishi (名刺) – não confunda com (meishi・名詞・ substantivo)! Abre parênteses, tem brasileiro que só fala “cartão de visita” em japonês mesmo. Mesmo conversando em português. Logo é comum ouvirmos coisas como: “Eu já te dei meu meishi?”, “Desculpe, estou sem meu meishi” e até “Adivinha o que eu comprei ontem! Um PORTA-MEISHI !!”.

Confesso que eu já sabia que a troca de cartões de visita no Japão tem toooooda uma etiqueta especial que vão muito além da simples troca de cartões. É famoso por exemplo que você deve entregar com as duas mãos, não pode guardar logo e o ideal é ler e fazer algum comentário, nem, que seja do ideograma do nome da pessoa. Mas ontem no programa fiquei abismado com outras regras bem, mas bem mais rígidas. Veja algumas....que eu me lembro:
1 . Não é pecado mortal entregar o cartão de visita com uma mão só. Desde que: os dois entreguem ao mesmo tempo E...(pasmem!)...se você entregar o seu cartão em um nível mais abaixo do que o recebido. Pra quê? Para mostrar humildade!
2 . Quando receber um cartão de visita de uma pessoa e em seguida de outra pessoa, conforme a hierarquia entre elas, um dos cartões deve ficar embaixo do outro. Por exemplo: você recebe o cartão de visita do dono da Sony. Em seguida recebe do sub-secretário dele. Se você colocar o cartão do secretário em cima do cartão que você havia recebido primeiro, é uma tremenda falta de respeito. Você deve lembrar de colocar o segundo cartão, embaixo do primeiro!!
3 . Se em uma reunião de negócios você recebe três cartões de visita, nahora de sentarem-se à mesa os cartões devem estar na ordem das pessoas que estão na sua frente e que muito provavelmente estarão sentadas por ordem hierárquica. Por exemplo: na sua frente estão sentados o sub-secretário, o secretário geral e o presidente da Sony. Logo, na sua frente, os cartões de visita deverão estar nessa mesma ordem. Com um detalhe!!!! Pasmem! O ideal é que o cartão de visita do presidente esteja colocado em cima do seu porta cartão de visitas! Por que? Para ficar em um nível mais alto do que os demais cartões!!!!!! Rídido sim, mas bem interessante não?! ...aliás eu diria até...Muito Japão!!!

PALAVRA DO DIA:
名刺交換・meishi koukan・troca de cartões de visita

Ex.:
名刺交換」。上手くできないと「社員交換」の意味を教えてもらっちゃうかも。

Meishi koukan. Umaku dekinai to shain koukan no imi wo oshiete moracchaukamo.

Troca de Cartões de Visita. Se você não souber bem, vão acabar te ensinando o que é Troca de Funcionário!

09/08/2009

Carnaval no Japão

Dia 29 deste mês será realizado o famoso Carnaval de Asakusa!! O evento atrai turistas e japoneses, que lotam a avenida principal que passa bem em frente do Kaminarimon, para assistir ao desfile das escolas de samba e grupos japoneses. Mas espere! Um conselho de amigo: se você for assistir, não vá esperando ver algo relacionado com o Brasil e por favor, muito menos, relacionado com o Rio de Janeiro. Não! Não é minha intenção esculachar o evento, aliás trata-se de um evento que já é realizado há 30 anos no Japão e que envolve muitos profissionais. Como evento cultural, de intercâmbio e tal, acho até maneiro. É ótimo principalmente para sair da rotina e principalmente, o que mais me deixa feliz, é ver tantos japoneses que admiram o Brasil e nossa cultura. Nesse ponto, é maneiro. Mas depois que você vê elementos Muito Japão entranhados no carnaval de Asakusa, que tinha tudo para ser divertido, animado e contagiante, confesso ser um tanto...digamos, brochante. Lembro que no primeiro ano que fui assistir, não vi quase nada do desfile. O pouco que vi foi através das imagens que eu captava com minha câmera digital. Como assim? Simplesmente eu, sem ver nada, levantava meu braço, esticava ao máximo e tirava fotos e depois eu mesmo via na hora. Isso porque as calçadas da avenida principal simplesmente lotam, abarrotam, bota gente pelo ladrão!! Se você não madruga, como acredito que muita gente deve fazer para garantir lugar, você só consegue ver o cocoroco dos carros alegóricos mais ausados, isto é, com uma certa altura. Fora isso, esquece! Obviamente, não há muros que separam a rua da calçada, mas se você chega um pouco antes do início do desfile, sua visão de raio x deverá atravessar três barreiras: dos velhinhos que madrugam e ficam sentados em esteiras que forram uma faixa na rua rente ao meio-fio (foto).


Atrás deles ficam os fotógrafos que, no cúmulo da cara de pau, armam suas escadinhas e minipalanques e lá ficam a postos e intactos apontando as bazucas, vulgo lentes, até o final do desfile. Atrás deles ainda vem o paredão de pessoas que se colocam de pé sem a menor cerimônia e ali ficam plantadas. Atrás destes, vem o grupo dos esperançosos insistentes, ou seja, aquelas pessoas que ficam de pé, mas se movimentando tentando achar uma brecha para ver o desfile, como quem tenta ver por uma cerca a vizinha gostosa tomando banho de sol na piscina da casa ao lado. E ainda atrás destes, vem a correnteza! O rio de pessoas que seguem len...ta...men...te em direção ao nada, como tartarugas que parecem estar se encaminhando para areia para desovar. Lembro que para mim foi um choque cultural ver por exemplo, em pleno clima de festa, de carnaval, um guardinha, pedindo para que um pai descesse o próprio filho dos ombros!!! Isso mesmo!! O guarda, usando um megafone, mandou o menino descer dos ombros do próprio pai!

O DESFILE


O mais maneiro do desfile é a clara alegria de algumas pessoas – somente algumas – extremamente felizes por estarem ali naquele momento. Ver que também estão de alguma forma mostrando seu amor, sua fascinação pela nossa cultura também é gostoso de ver. Mas algumas coisas deixam claro que se trata de um evento organizado por estrangeiros, ou melhor, por japoneses e que são japoneses que estão se apresentando no Japão! Se eu dissesse que o carnaval de Asakusa em nada lembra o carnaval do Brasil eu estaria mentindo, até porque no meio têm muitos profissionais, sejam eles instrumentistas, sambistas, passistas etc. Mas também tem muita gente que parece não estar sentindo o menor prazer de estar ali ou pelo menos não demonstra alegria tal como a gente vê estampada nos rostos de todos que atravessam a verdadeira Marquês de Sapucaí. Foi triste ver por exemplo, na frente de cada escola, escoteiros-mirins com meias esticadas até o joelho e com “face de ânus”, carregando uma plaquinha com o nome da escola. Também não gostei de ver tantas alas com coreografias. Tudo bem que no Brasil também tem alas com coreografias, principalmente, a comissão de frente, mas não um montão de alas, uma atrás da outra, com coreografias. Tudo bem que tenha coreografia, mas que façam com emoção! As que eu vi, os carinhas mas parecem coelhinhos em comercial de pilhas Duracel! Tudo igualzinho! Até o desânimo da ala é uniforme!! Parece que treinam, treinam, treinam e no dia vestem a roupa e o mais importante é não errar em nada. Sorriso no rosto, não importa! Animação e alegria de pular carnaval não fazem parte!



As passistas japonesas....pelo amor dos meus filhinhos. Nada contra japonesas, muito menos com pouca roupa, mas não é a mesma coisa! Japonesas branquinhas, com falta de carne nas coxas, com botas de paquitas prateadas ou douradas até o joelho e a meia-calça cor de chocolate e passando pelo biquíni e quase tocando o umbigo é triste ver. As brasileiras, 100% produto nacional, se destacam. O samba no pé eu não vou nem falar, mas a paixão, o prazer, o sorriso natural, o charme, a sensualidade - e põe sensualidade nisso - com uma roupa de passista linda que parece ter sido feita só para ela usar naquele dia, ajudam a lembrar que o evento tem um pouco de Brasil também! Para você ter uma ideia do que estou falando e para quem ainda não me conhece, aí vai uma foto!

É como ver no Brasil, uma brasileira sem ascendência japonesa, na porta de um restaurante japonês, vestida de yukata e com dois hashis fincados no coque!! Gostei do que um japonês, integrante da bateria da Bárbaros, uma das escolas mais influentes do carnaval de Asakusa, me disse. Ele me contou que adora o ritmo do samba e acha o desfile do Rio de Janeiro, realmente um espetáculo, mas segundo ele, ele sai no carnaval de Asakusa, não para imitar o carnaval do Rio, mas sim para curtir o momento da festa onde ele pode tocar o instrumento dele e encontrar amigos que compartilham do mesmo hobby. “Nem tem como comparar”, disse. (...e eu concordo!). Para finalizar eu diria que o mais Muito Japão do carnaval de Asakusa é o que aconteceu logo, mas bem logo, depois do desfile. Segundos depois do desfile! Quando vai passando a última escola, uma equipe de trocentos homens e mulheres com caras amarradas, se espalham pela avenida para catar os lixos, desmontar as cercas de proteções, varrer a rua e expulsar os espectadores da rua. Tudo ao mesmo tempo e cronometrado!! Tudo porque, assim que o último integrante da última escola cruza o ponto de chegada, a rua, principal do bairro, já reabre nor-mal-men-te !!! CINCO minutos depois, não sobra nem vestígio de que por ali passaram trocentas pessoas fantasiadas, dançando e cantando para celebrar o carnaval!!! É impressionante!



PALAVRA DO DIA:
笑顔・egao・SORRISO


FOTOS: Ewerthon Tobace

03/08/2009

Você já bebeu "coroa de louros"?

Dia desses um colega do trabalho perguntou como se diz em japonês coroa de louros. Eu não sabia e na hora fui consultar o dicionário. Primeiro para respondê-lo e ajudá-lo e segundo, para de hoje em diante eu ficar sabendo. Aprendi! Se fala: 月桂冠・gekkeikan. O mais maneiro foi o que eu descobri depois! Querendo ver se consiga pronunciar corretamente a palavra, eu fui de japonês em japonês do meu andar, perguntando "gekkeikan, vc entende? O que significa?". Para a minha alegria, todos responderam que entendia perfeitamente. Mas de todos que eu perguntei, apenas UM respondeu "coroa de louros"!!! Os outros, pasmem, responderam SAQUÊ!! Bom, como eu costumo ser cheio de confiança nessas horas, achei que minha pronúncia está tão ruim que em lugar de "coroa de louros" os caras entendiam "saquê"!

Foi digitando "kekkeikan" e "saquê" no Yahoo Japan que eu matei a charada!! Gekkeikan é uma marca de saquê muito, mas muito famosa no Japão - desde 1637 (isso mesmo ! seicentos !) e não coincidentemente, o símbolo é ...adivinha...uma coroa de louros!!!

Tudo bem que o símbolo seja o mesmo, mas achei interessante eu perguntar o que significa a palavra e eles saberem somente a marca de saquê e não o objeto em si. Um deles até perguntou: "Mas o que significa, sem ser o nome do saquê?", sendo que a pronúncia é exatamente a mesma!
Vivendo e (des) aprendendo...