27/03/2011

VIDA NORMAL

Pois é, falei que não escreveria mais diários, mas tenho recebido muitas e muitas mensagens de gente que tem se informado e confortado com as coisas que eu tenho escrito aqui e como já estava um tempo sem atualizar o blog, resolvi então dar uma colher de chá (risos). 

Bom, eu até gostaria de dizer que a vida voltou ao normal, mas não voltou. Claro, tem que ser tudo aos poucos, e está sendo, mas ainda não está normal. O estresse dos terremotos a cada instante ainda não passou totalmente, mas até que aqui em Tóquio, os tremores tem ocorrido com bem menos frequência que antes. Por conta disso, já durmo até de pijama e já posso me ensaboar com mais tranquilidade! 

Mas ainda há a usina e o racionamento de luz! Confesso que esse negócio de um dia tem luz no reator 2, outro dia tem fumaça preta no reator 3, no 4 isso, no 5 aquilo, tudo isso tem sido chato demais e estressante. Fora a tal da radiação na água. Nossa! Lembro que no dia que foi detectado um nível alto e que foi proibido de crianças tomarem água foi um bafáfá daqueles! Muita gente comprando água e mais água. As pessoas preocupadas com como iriam fazer comida, lavar a louça etc. Isso tudo porque primeiro eles informam o pior, depois vem a história de quem não é bem assim, que não há risco para a saúde e, beeeem mais tarde, alguém descobre que as medidas mundiais são até bem maiores do que as japonesas. Mas de qualquer maneira, tudo isso estressa muito!

Fora o povo desesperado de plantão que não aguenta ver você tranquilo e faz de tudo para te deixar desesperado também. Durante o dia, você vê pessoas que, como eu tem tentado levar a vida sem muito alarde. Mas durante um dia, sempre aparece alguém para falar de radiação,  de usina, de medidas que as pessoas mal conseguem repetir o nome e que eu, nem prefiro arriscar a escrever aqui, mas que não saem dos jornais ultimamente. Resumindo: enquanto se está trabalhando ou como eu fiquei hoje, caminhando normalmente e tranquilão pelas ruas de Tóquio, vendos as coisas, observando as pessoas e mesmo ao  voltar para casa, enquanto não liguei a TV, foi possível relaxar... 

Mas tem ainda o perrengue do racionamento de luz! Nossa! Bom, para mim, que já vivenciou um apagão, não tem nada de extraordinário! Só levei um choque quando um dia, desci do trem, em plena tarde e vi tudo apagado! Tudo! O pior não foi só isso! O pior foi que tudo estava apagado e fechado!!! Não entendi muito bem o porquê. Primeiro pensei: "Talvez seja coisa de primeiro mundo que não precisa ficar com as portas abertas e trabalhar à luz de velas ou lampião, como era comum no Brasil em época de apagão!" Bom, mas se eu fosse o Japão com essa economia "ótema" que está, eu aprenderia um pouco com o Brasil e não fecharia as portas do comércio só porque não tem luz! Enfim...estou em outro país!

O rodízio que o governo está fazendo é por grupo. Cada grupo fica cerca de 3 horas sem luz por dia. Mas tem dia que eles avisam que não vai ter queda de luz. Tem dia que tem para um grupo, mas não tem para outro. Tem dia até que um mesmo grupo fica sem luz duas vezes. O negócio é checar na internet qual grupo você está e que dia vai ter ou não vai ter apagão na sua região. Ou seja, mais estresse! (Bom, eu não posso reclamar muito porque na minha casa, desde o começo do nipo-apagão, nunca faltou luz. Também não vou ligar para reclamar né?!)

O estresse número 4 fica por conta dos trens. Para economizar luz, algumas linhas estão sem trens ou com uma porcentagem menor funcionando. A minha linha por exemplo está com 30% a menos de trem. Resultado: escadarias lotadas, plataformas botando pelo ladrão e trens praticamente a vácuo! Tem fila até no banheiro de homens agora também! Estresse total! 



Eu ainda não estou fazendo o percurso que eu fazia antes do terremoto, primeiro porque não havia trem direto para o trabalho. Agora, até tem, mas como não entre nem uma mosca no trem, eu espero passar alguns ou vou por outra linha, mas esta segunda opção me custa mais caro. O jeito é respirar fundo, entrar no trem e já escolher uma posição para seguir a viagem quase inteira!

Para não desesperar totalmente, a boa notícia é que alguns produtos estão voltando aos supermercados. Atenção: eu disse, "voltando" e não "voltaram". Isso porque ainda tem muita prateleira vazia. Mas pelo menos, ontem eu fui no mercado, na estação seguinte da minha e vi, miojo, leite e pão!! Já é um conforto ver uma prateleira repleta de leite ou pão! 


"MIOJO"・カップラーメン



PÃO・パン



LEITE・牛乳


Isso tudo tem servido para repensarmos uma série de coisas, inclusive, como gastar menos e o quanto desperdiçamos com coisas supérfluas em nossa vida diária. Eu também não deixo de agradecer por ter minha casa inteira, comida, pão, cobertor, bebida, água quente, cama e tudo mais que as pessoas que estão vivendo nos abrigos nas regiões mais afetadas não os têm. Isso também é uma das coisas que mais me entristece quando vejo os jornais. 

Por isso, para terminar, eu volto a dizer. Estou preocupado sim. Mas não quero voltar para o Brasil agora. E mais do que preocupado, desesperado, apavorado com tudo isso, eu estou triste por tantas pessoas que morreram e por tantas que ainda sofrem sem casa, sem comida, sem nada. Rezemos por estas pessoas!

Obrigado mais uma vez a todas as pessoas que me escrevem querendo saber como eu estou e me desejando o melhor! Muito Obrigado! Tenham todos uma ótima semana! 


3 comentários:

  1. Nossa fiquei muito feliz com sua postagem,eu tava ja achando que vc tbem tinha se rendido a turma dos desesperados e pegado um aviao rumo a qualquer outro lugar longe daqui rsss,que bom que viajei nesse ponto.
    Olha,posta sempre,vc eh minha referencia em Tokyo,e eu que sou a mais revoltada das pessoas com relacao ao grupinho citado(os desesperados)gosto de ler coisas descentes de pessoas como vc,Beijosss

    ResponderExcluir
  2. Os brasileiros desesperados estão sendo alvo de falatório no tt e em todo lugar. Passagens para o Brasil? Só em maio, agora... pessoal queria até que o Brasil enviasse aviões de carga pra "resgatá-los"!!
    Eu até entendo o medo desses q estão indo embora. Qdo se tem a opção B, ela é escolhida nesses casos. Muitos tem família, se preocupam com ela, enfim... e acabam optando por voltar para o Brasil. Mas, eles não esquecem de pedir o re entry.
    Quer dizer, qdo as coisas melhorarem, voltam, com certeza. Não julgo ninguém, pq vontade de ir dá mesmo, mas acho q taaanto desespero é exagerado.

    Fiquei feliz em saber q a vida aí ta voltando ao normal, ainda com sequelas, né Caruso? Aqui em Aichi, tudo tranquilo... só tinha faltado água em alguns mercados e a gasosa q aumentou, mas nada difícil de suportar.

    Dói o coração pq aqui pertinho, pessoas ainda estão sofrendo por tudo q aconteceu.... o que tá ao alcance, a gente faz, o resto, é rezar mesmo, né?

    Gomen pelo comentário monstro!! rsrsrs ;)

    Bju no core!!!

    Dani do
    http://estacaobeauty4you.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Noooosa, quanto stresse...
    Essa foto do metro me fez lembrar dos trens cheio daqui do Brasil: vc nem vem nem vai ...você é levado e trazido pelo fluxo e refluxo.
    Com pão e leite também me viro, mas sem água na torneira iria pirar. Quando vc mostrou seu kit alimento com um monte de macarrão fiquei pensando: com q água ele vai cozinhar isso???
    Sem luz depende das condições. Aqui ficamos sem luz no auge do calor e foi barra. No frio sem aquecedor também deve ser.
    Comércio parado por falta de luz...aqui ñ rola mesmo. Quando houve o desastre lá na Serrana o que mais se pedia era água, vela e fósforo.
    Por aqui todo dia se fala sobre os acontecimentos no Japão, não mais tão avidamente, mas ainda é matéria no Fantástico, por exemplo, e jornal nacional... Na net também.
    As usinas mesmo daqui do Brasil me deixa estressada e quando veio o tal erro de leitura ... Poxa vida, aí a gente sente vontade de socar a mesa.
    E tudo isso junto deve ser mesmo desesperador para que esta aí.
    Enfim, penso também que desesperar jamais senão paralisa tudo.
    Que bom que está tudo bem com você. Quanto aos perrengues, concentra e vai.
    Aqui no Brasil continuamos rezando para que tudo melhore e volte ao normal da melhor forma possível e que as vítimas desse desastre encontrem um bom rumo.

    Tudo de bom Caruso pra você e todos aí O/

    PS.: Desculpe o texto longo, certo?!

    ResponderExcluir