10/07/2012

REVISTA ALTERNATIVA: JAPONÊS MANEIRO


No final do ano passado, eu tive o prazer de ter sido convidado para assinar uma coluna só minha na revista ALTERNATIVA, a melhor revista gratuita que há em português hoje no Japão, distribuída para todo o país. Para mim que já era leitor da revista há anos e gostando de escrever como eu gosto, foi uma honra. A coluna JAPONÊS MANEIRO estreou este ano e graças a Buda tem sido um sucesso! A intenção é mostrar o lado maneiro do idioma, mostrar curiosidades, fatos interessantes e dar dicas única e exclusivamente sobre a língua japonesa. Gostaria que através da coluna, muitas pessoas pudessem se animar a aprender o idioma e perceberem o quanto é bom saber japonês. E para os leitores do Muito Japão que não vivem no arquipélago, aí está a coluna que foi publicada na revista!



IDIOMA E CULTURA DE MÃOS DADAS



Estudar um idioma estrangeiro é aprender um pouco de outra cultura. Com a língua japonesa não é diferente. Interessante são as expressões que deixam claro essa relação cultura-idioma. Por exemplo, se eu te perguntar em português “qual é o seu nome de baixo?” ou ainda, “e seu nome de cima?”. Em português, talvez não faça muito sentido, eu sei. Na verdade, um é o “sobrenome” e o outro é o “nome”? Bom, para nós que escrevemos nosso idioma na horizontal, a expressão não faz nenhum sentido realmente. Mas, se paramos para pensar que japonês ainda hoje e desde muito tempo atrás, se escreve na vertical, tudo fica bem mais claro! Depois, basta lembrar que no Japão é muito mais comum as pessoas serem chamadas pelo sobrenome do que pelo nome em si, principalmente no trabalho, na escola e por pessoas com quem não se tenha muito intimidade. Conclusão, o tal do “nome de cima”, 上の名前・ue no namae, vem a ser o “sobrenome” e o “nome de baixo”, 下の名前・shita no namae, seria o “nome”.
Claro que em japonês existe as palavras “nome” e “sobrenome”  - são elas namae・名前 e myouji・名字 -, mas se você diz seu sobrenome, Yamamoto, que seja, por exemplo, é capaz de um japonês te perguntar: “下の名前はなんですか”, ou seja, "Qual o seu nome de baixo?", o que quer dizer simplesmente, “qual é o seu nome?” ! Interessante , não? Tudo baseado na forma vertical de se grafar a língua japonesa! Aliás, é por este mesmo motivo que línguas ocidentais, como português, espanhol, inglês etc, que são escritas na vertical, são chamadas em japonês de 横文字・yokomoji, o que ao pé da letra quer dizer "letras verticais". Um livro escrito em inglês por exemplo, em japonês poderia se dizer 横文字の本・yokomoji no hon.
E por falar em escrita, me lembrei de outras expressões bem maneiras baseadas também na escrita e desta vez, nos ideogramas! São expressões que descrevem uma posição baseada no formato dos ideogramas! Isso mesmo! Quando um japonês conta que ele foi viajar com a mulher e a filha e dormiram os três na mesma cama enfileirados, ele provavelmente dirá: 川の字で寝ました・kawa no ji de nemashita, ou seja, dormimos na forma do ideograma de rio (川) ! Reparem que o ideograma de rio se escreve com três pauzinhos enfileirados, tal qual a posição descrita por ele! Há outra expressão parecida! Por exemplo, vamos supor que ele tenha ido sozinho e como a cama era enorme, ele pôde dormir “estirado” na cama. Neste caso, ele vai usar outro ideograma para descrever a posição em que ele dormiu. Provavelmente ele dirá: 大の字で寝ました・dai no ji de nemashita, ou seja, dormi como o ideograma de grande (大).
A última expressão de hoje não tem a ver com escrita, mas tem a ver com o jeito japonês, a maneira de como ele se comporta! Você já reparou quando um japonês faz algo ou fala algo que ele não está muito certo ele torce um pouco a cabeça para o lado? Pois bem. Por isso da expressão 首をひねる・kubi wo hineru ou 首を傾げる・kubi wo kashigeru, que ao pé da letra quer dizer, torcer ou inclinar o pescoço. Tudo isso para expressar a ideia de dúvida, insegurança, incerteza. Por exemplo: 首を傾げる人が多いです・kubi wo kashigeru hito ga ooi desu・Muitas pessoas têm dúvida ou ficam na dúvida. Mas você entendeu, não é? Até a próxima!

PUBLICIDADE・広告

4 comentários:

  1. Caruso, primeiro gostaria de parabenizá-lo pela coluna na revista!!! Muito show isso! To agora mesmo no site da revista dando umas bisbilhotadas!

    Segundo, adorei a sua matéria!! Estou animada para as próximas publicações suas! Super maneiro a parte dos ideogramas! O grande e o enfileirados! Adorei huahuahua. Mas pra quem não sabe japones, a escrita mesmo, ia ficar bem confuso ouvir, né?

    Por último, tenho uma pergunta meio besta. Eu vi num anime (K-On) onde as meninas fizeram uma viagem escolar à para Kyoto e fizeram uma brincadeira de falar como eles e usavam no final de toda frase as palavras Desu e Yada. Você saberia explicar sobre isso? Se é só uma expressão de região, se tem signicado.. se muda de um pra outro, etc?


    Muito sucesso e boa sorte!

    Omedetou Gozaimasu!!!

    ResponderExcluir
  2. Caruso, tudo bom?
    Parabéns pelo blog, e pela coluna na revista! Tenho muito interesse por idiomas, e seu blog tem me saciado muito, pois você consegue aplicar coisas do cotidiano japonês, curiosidades, junto com algumas dicas do idioma, eu adoro! ^^

    Queria te fazer uma pergunta, como é o curso de Línguas - Japonês na UFRJ, e quais os ramos possíveis para trabalhar depois? E já com a graduação, é fácil conseguir um emprego no Japão, e em que ramo?
    Desculpe, mil perguntas!! Haha

    Abraços e obrigada!

    ResponderExcluir
  3. LRD,

    Muito obrigado! Fico feliz em saber que gostou da coluna. Saiba que eu adoro escrevê-la assim como o blog. Sobre a brincadeira, não entendi muito bem. Se tiver o vídeo ou se quiser explicar melhor para ver se eu pesco, pode me escrever por email: muitojapao@gmail.com. Beijos! Obrigado pela visita!

    ResponderExcluir
  4. Lari,

    Obrigado você pela visita e fico feliz que tenha gostado da revista! Bom, sobre suas dúvidas, acredito que seja melhor vc tbm me escrever por email, assim, posso explicar melhor. Anota aí: muitojapao@gmail.com. Beijos. Obrigado mais uma vez!

    ResponderExcluir