27/07/2013

COMO É O BANCO NO JAPÃO?


Entrar em um banco no Japão pode não estar nos planos de um turista estrangeiro. A menos que ele necessite fazer algum câmbio. Mas quem entrar em um banco japonês, logo perceberá que não está simplesmente em uma instituição financeira qualquer. O cliente, principalmente se for brasileiro, logo vai notar algumas pequenas, porém significativas diferenças. Eu aqui vou tentar ressaltar algumas e ainda assim mesmo do banco que eu costumo ir, mas claro que há diferenças de banco para banco.

Logo de cara, quando se entra no banco, normalmente um nipo-vovôzinho vestido de segurança, com o cinto quase enforcando e as bainhas pescando, lhe recebe gentilmente com um “irasshaimase” que pode ser traduzido como um caloroso “seja bem-vindo”. Logo depois uma nipo-senhora enxutona, de tailler, lhe recebe com um sorriso e lhe pergunta em que ela poderia te ajudar. Tão logo você diz que quer depositar dinheiro ou fazer uma transferência, ela imediatamente retira a senha da máquina e lhe entrega nas mãos. Ninguém fica desamparado ou gasta meia hora diante da máquina de senha para saber que setor você deve ir ou que senha você deve retirar. A funcionária lhe ajuda, ela mesma retira a senha e te entrega nas mãos. Se seu número for o próximo, ela já dá um sorrisinho e a diga: “O do senhor já é o próximo”.

Quando os caixas eletrônicos estão desocupados, ela também sugere que você os utilize, se não quiser esperar e , claro, se você opta por utilizar o caixa eletrônico, ela o acompanha até a máquina do caixa e te dá todas as coordenadas. Lembro que ela ia me dizendo, “agora o senhor aperta aqui”, "agora aqui", mas ela que apertava. Também achava o máximo quando chegava a tela da senha e imediatamente, ela se virava de costas para a tela e para mim.

Me impressionei também com os caixas e demais funcionários do banco. Todos de uniforme! Isso mesmo. As mulheres com lencinho no pescoço e tudo e, os homens, todos de terno e gravata com as cores do banco!

Há tantos outros detalhes que acho que em um post só não vai dar. Tem a famosa bandejinha do dinheiro que fica nos caixas, para o funcionário do caixa colocar o dinheiro ali e não entregar as nota diretamente na sua mão. Aliás, quando chega a sua vez e você se aproxima do balcão do caixa, a funcionária se levanta, se curva para lhe cumprimentar e logo de cara já coloca a bandejinha do dinheiro no balcão. Neste caso, é para você colocar ali qualquer coisa que você queira entregar a ela. Por exemplo, se você quer depositar um dinheiro e quer que ela atualize o extrato na sua caderneta do banco, você coloca na bandejinha, a caderneta e o dinheiro. Pronto, ela vai recolher a bandejinha e começar a fazer o que deve fazer. O interessante é que se você vai retirar dinheiro ou fazer algum câmbio, ao invés de ela contar o dinheiro e colocar no balcão direto para você pegar ou ao invés de ela entregar diretamente para você em mãos, ela coloca o dinheiro na bandejinha e só depois coloca a bandejinha com o dinheiro diante de você para que você mesmo pegue o dinheiro da bandejinha. Detalhe: me amarrava na disposição do dinheiro na bandejinha, em leque!! Isso mesmo! Muitos caixas fazem isso! Abrem as notas em leque e as colocam na bandejinha para entregar o dinheiro aos clientes! 

Sempre admirei também o fato de disponibilizarem pequenos pedaços de papel com o logo do banco, única e exclusivamente para limpar a tinta do carimbo que você acabou de utilizar. Explico: para quem não sabe, no Japão é mais comum as pessoas “assinarem” com um carimbo pessoal – chamado de inkan, em japonês: 印鑑 - do que assinar, assinar mesmo, escrevendo, como nós brasileiros fazemos. Por isso, quando há um campo para assinatura, a funcionária do banco pede para você carimbar. Você pega o seu carimbo, o encosta em uma almofadinha molhada com tinta vermelha – chamada de “shuniku”, em japonês: 朱肉- e carimba. Em seguida a funcionária te dá uma caixinha, pequena como uma caixinha de fósforo, para você retirar um papelzinho e limpar o seu carimbo antes de guardá-lo no estojo. Vale lembrar que alguns tipos de carimbos pessoais, já vêm com tinta. São como os carimbos que usam os médicos no Brasil.

Outra coisa que me chamou a atenção nos bancos japoneses foram os óculos de grau, isso mesmo, óculos de grau que ficam disponíveis normalmente nos balcões de preenchimento de formulários. São vários óculos, de diversos graus, em geral, forte, fraco e intermediário, como na foto ao lado,  e que ficam ao lado dos diversos formulários para os idosos que não enxergam o que eles estão lendo ou estão tendo que preencher utilizarem enquanto estão no balcão e depois devolverem. Há várias destas caixinhas pelo balcão. Óculos como estes são conhecidos como “roogankyo”, em japonês: 老眼鏡

Educação, com certeza, é uma coisa que chama a atenção, mais do que qualquer outra coisa. Não é o lugar perfeito, claro, há filas, trâmites, procedimentos que você muitas vezes não entende, isso quando não te obrigam a preencher todo um formulário quando você cortou o número sete, mas com certeza, são coisas que se tornam insignificantes quando você é tratado com sorriso e educação em um banco. 

18/07/2013

SMARTPHONE: LIGUE E DESLIGUE SEU AR CONDICIONADO MESMO FORA DE CASA

Nunca aconteceu de você ter a nítida impressão de ter esquecido algo ligado em casa a ponto de querer voltar para casa de onde estava na rua somente para se certificar se desligou ou não? Pois se o que você acha que deixou ligado em casa foi o ar condicionado da Panasonic de última geração, pode ficar tranquilo! Você pode desligá-lo utilizando o seu smartphone e não precisará mais voltar para casa!

"Neste verão, controle seu ar-condicionado com o seu smartphone a qualquer hora e de qualquer lugar". Esta é a catch-phrase da atual campanha da Panasonic (foto) divulgada em vários sites e na TV. O serviço também pode ser muito útil para aqueles calorentos que mal chegam em casa e já vão logo ligando o ar, mesmo antes mesmo de acender a luz (eu sou assim com o aquecedor durante o inverno no Japão). Com este modelo de ar condicionado, não só é possível também ligar o ar antes de chegar em casa, como também ajustar a temperatura de fora de casa ou mesmo de outro cômodo da casa.

Detalhe do asterisco na frase do anúncio. O fabricante alerta que primeiro você precisará de outro aparelho para poder controlar o ar condicionado de fora de casa - suponho que se refira ao smartphone em si - e que dependendo do ambiente de internet, pode ser que não seja possível utilizar esta função.


Aliás, a Panasonic tem toda uma linha de eletrodomésticos que se pode controlar, mas principalmente, configurar, via applicativo de um smartphone!


15/07/2013

FIGURINHA REPETIDA

Sabe aquela matéria do jornal que toooodo santo ano sai em em algum jornal - se não sair em todos ? No Brasil, seriam matérias do tipo "Foram recolhidas não-sei-qtas toneladas de lixo das areias da praia de Copacabana depois do Reveillon" e "Tem gringo no samba" e por aí vai. Pois é, no Japão também tem umas matérias que para quem vê pela primeira vez, até pode parecer interessante, mas para quem mora e costuma acompanhar as notícias, sabe que é a mesmíssima do ano passado e que é a  mesma do ano retrasado e do ano anterior...
No Japão, não é diferente. Vira e mexe a gente vê notícia de gerentes, diretores ou qualquer outro tipo de bam-bam-bam se curvando diante das câmeras para pedir desculpas por alguma falcatrua, fraude ou problema que os envolva de alguma forma. As filas que se formam na frente das casas lotéricas quando se iniciam as vendas de uma das loterias que mais paga prêmio em dinheiro no país. Sempre vendem, sempre formam fila, sempre sai a matéria na mídia japonesa! Outra clássica é essa que eu vi hoje das frutas no gelo dadas aos ursos do zoológico de Ueno. Reparou que eu disse "vi", porque ler, acho que não vou mais. Bom, a matéria é até maneirinha e acredito que as crianças devem adorar, mas que todo ano sempre sai a mesma coisa, isso lá sai!
 
 
JAPONÊS・日本語
 
おやつは氷、中には果物 上野動物園のクマ、熱中症予防

東京都台東区の上野動物園では11日、ツキノワグマとエゾヒグマに、氷のおやつが与えられた。クマがフルーツの入った氷を大切そうに抱えて食べる姿が見られた。
 「クマは人間のように汗をかいて体温を下げることができません。氷を食べることで体温を下げて、熱中症予防になるんです」と同園学芸員の井内岳志さん。氷のおやつは、飼育員が当日の気温や動物の様子を見て、与えるかどうか決めているという。

LISTA DE VOCABULÁRIO・語彙一覧
  • 氷・koori・gelo
  • 果物・kudamono・fruta
  • 上野・ueno・Ueno
  • 動物園・doubutsuen・zoológico
  • 熱中症・necchuushou・hipertermia
  • 予防・yobou・prevensão
  • 人間・ningen・ser humano
  • 汗をかく・ase wo kaku・suar
  • 体温・taion・temperatura corporal
  • 飼育員・shiikuin・tratador
  • 気温・kion・temperatura
  • 動物・doubutsu・animal, bicho
  • 与える・ataeru・dar
  • 決める・kimeru・decidir

14/07/2013

O PERIGO MORA AO LADO

Pior do que ler uma notícia sobre mais uma vítima de facada no Japão, é você ler que o crime foi cometido em um lugar próximo de você. A notícia que li ontem no twitter falava sobre a prisão de um jovem de 15 anos que em abril deste ano esfaqueou pelas costas uma moça que caminhava tranquilamente pela rua. Pronto. A matéria só diz isso. O rapaz foi preso e confessou o crime. Mas o porquê de ter cometido o crime e o porquê de ter sido aquela moça a vítima, a reportagem não esclarece. Mas, pelo pouco que conheço do Japão, provavelmente ele irá utilizar o discurso que todos os criminosos deste tipo de crime costumam usar em seus depoimentos: "Poderia ter sido qualquer pessoa. Eu só queria matar alguém...".
 
JAPONÊS・日本語

路上で女性刺した疑い、中学3年生を逮捕 埼玉・草加

今年4月、埼玉県草加市の路上で女性が背中を刺された事件で、県警は13日、市内の中学3年の少年(15)を殺人未遂容疑で逮捕し、発表した。少年は「包丁で刺した」と容疑を認めているという。
 草加署などによると、少年は4月1日午後5時45分ごろ、同市氷川町の路上で、歩いて帰宅途中の女性(41)の背後から近づき、自宅から持ち出した文化包丁(刃渡り15・4センチ)で突き刺し、殺そうとした疑いがある。女性は背中などに1カ月の重傷を負った。少年はそのまま逃走し、県警が行方を追っていた

LISTA DE VOCABULÁRIO ・語彙一覧

今年・kotoshi・este ano
路上・roujou・na rua
女性・josei・mulher
背中・senaka・costas
県警・kenkei・polícia da prefeitura
少年・shounen・jovem
逮捕する・taiho suru・prender
包丁・houchou・facão
疑い・utagai・suspeita
重傷・juushou・ferimento grave
逃走する・tousou suru・fugir

04/07/2013

PESQUISA ONLINE ・ オンライン調査

Recentemente vimos em uma matéria publicada pela NHK que a prefeitura de Ehime, iniciou uma campanha pelo cumprimento da lei que obriga adultos a usarem capacete ao andarem de bicicleta  - vide post recente - e o Muito Japão quer saber a sua opinião, caro leitor! Acesse a Pesquisa Online disponível na lateral direita do blog e participe ! O voto é secreto e você pode votar quantas vezes quiser. 

AVISO AOS SUICIDAS E BÊBADOS DE PLANTÃO

Este cartaz é o máximo! Aliás, eu sempre digo que quem sabe ler japonês, se diverte muito mais nas ruas do Japão! (risos) É cada aviso que a gente vê! Este da foto por exemplo pede para que não se ande perto das bordas da plataforma depois de beber! Isso mesmo! A frase é clara: "É extremamente perigoso, andar na borda da plataforma depois de consumir bebida alcoólica." Mas o melhor mesmo está na parte inferior do mesmo cartaz! A frase sublinhada ficaria mais ou menos assim em português: "Os trilhos foram feitos para os trens! Mesmo que você caia, o trem não poderá parar." Adorei a sinceridade do responsável da estação, que é quem "assina" o "conselho" aos bêbados e, por que não, suicidas de plantão!


Siga o Muito Japão no Twitter! Já são mais de 1.400 seguidores! Pelo twitter do Muito Japão, você fica sabendo das atualizações, palavras, frases em japonês publicadas do nada e úteis para você aumentar o seu vocabulário! Você também pode entrar em contato comigo pelo twitter do Muito Japão ou pelo email do blog: muitojapao@gmail.com.    

ビジュアル国語辞典・DICIONÁRIO VISUAL


ビジュアル国語辞典・DICIONÁRIO VISUAL é um vídeo editado por uma revista japonesa com distribuição gratuita em vários pontos do Japão. A palavra de hoje apresentada no vídeo é KOJIN・個人, que em português pode ser traduzida de diversas formas tais como "indivíduo", "individual", "particular", "pessoal" entre outras, dependendo é claro, do contexto. O vídeo também mostra vários exemplos como 個人種目・KOJJIN SHUMOKU・PROVAS INDIVUDUAIS, 個人レッスン・KOJIN RESSUN・ AULA PARTICULAR e até uma que os japoneses a-do-ram: 個人情報・KOJIN JOUHOU・INFORMAÇÃO PESSOAL. Relacionado a esta última, vem em seguida a palavra 個人情報保護・KOJIN JOUHOU HOGO・PROTEÇÃO DE INFORMAÇÃO PESSOAL, que nada mais é do que uma "deixa" para a propaganda do carimbo que os japoneses inventaram para esconder informações pessoais como nome e endereços impressos em envelopes ou etiquetas e que muita gente rabisca antes de jogar fora. 

03/07/2013

ADULTO AGORA TAMBÉM PRECISA USAR CAPACETE PARA ANDAR DE BICICLETA

Como se não bastassem as blitzes de bicicleta que checam se a bicicleta é mesmo sua (qdo a gente compra a gente compra junto uma espécie de emplacamento, em forma de adesivo!), como se não bastasse ser proibido andar na garupa da bicicleta do amigo ou do namorado, andar emparelhado em uma rua larga jogando conversa fora com o amigo entre outras regras e mais regras para se andar de bicicleta no Japão, a prefeitura de Ehime agora quer que a população adulta também use capacete! Detalhe para o guardinha (foto) com o megafone pedindo por favor que as pessoas que estejam de bicicleta que usem o capacete! E mais! A reportagem mostra que assim como os carros andam na mão esquerda, a prefeitura de Ehime quer que as bicicletas façam o mesmo nas calçadas! Mas gostei mesmo foi do relato dos japoneses que foram entrevistados. Um deles, que estava andando de bicicleta mas sem capacete disse: "Não sabia dessa nova regra. Mas agora me ferrei porque não tenho capacete." O outro, funcionário da prefeitura, que deveria dar o exemplo disse: "Eu sabia dessa regra nova, mas esqueci o capacete, por isso que eu vim trabalhar de bicicleta mas sem capacete...".  Outro detalhe importante: a nova regra não prevê multa para quem não usar capacete!

JAPONÊS・日本語

大人もヘルメット 条例施行

自転車に乗る時、大人にもヘルメットの着用を求める愛媛県の自転車安全条例が、1日施行され、松山市では、警察官などがチラシを配って条例を守るよう呼びかけました。愛媛県は、サイクリングコースとして人気が高い「しまなみ海道」があって、自転車による観光振興を進めているほか、通勤や通学に自転車を利用する人も多く、今回「自転車安全条例」を作りました。この条例は、より安全に自転車を利用する環境を作るのがねらいで、罰則の規定はありませんが、道路交通法で「13歳未満」となっているヘルメットの着用を、大人を含めて自転車を利用するすべての人に求めています。

また、歩道で自転車が行き交うことを防ごうと、車道だけでなく、歩道も左側通行としています条例の施行初日の1日は、松山市の中心部に警察官や県の職員が集まり、チラシを配って条例を守るよう呼びかけましたが、ヘルメットをかぶって自転車を運転している人はほとんどいませんでした。自転車で通勤していた男性は、「条例は知りませんでした。ヘルメットを持っていないので、どうしようか困っています」と話していました。

また、愛媛県庁でも、職員が次々に自転車で出勤してきましたが、ヘルメットをかぶっていない職員が目立ち、55歳の男性職員は、「条例のことは知っていましたが、自宅にヘルメットを忘れてしまいました」などと話していました。きちんとヘルメットを着用して自転車で通勤してきた、愛媛県の中村時広知事は、「まだまだ多くの人が、ヘルメットをつけずに自転車に乗っていた。事故を防ぐため、地道に、条例の内容を周知していきたい」と話していました。

LISTA DE VOCABULÁRIO・単語一覧

  • 大人・otona・adulto
  • ヘルメット・herumetto・capacete
  • 条例施行・jourei shikou・aplicação da regra
  • 自転車・jitensha・bicicleta
  • 着用する・chakuyou suru・utilizar, usar
  • 愛媛県・ehimeken・prefeitura de Ehime
  • 警察官・keisatsukan・policial
  • チラシ・chirashi・panfleto
  • 配る・kubaru・distribuir
  • 条例を守る・jourei wo mamoru・respeitar a regra
  • 通勤する・tsuukin suru・ir ao trabalho
  • 通学する・tsuugaku suru・ir à escola
  • 安全に・anzen ni・com segurança
  • 環境・kankyou・ambiente
  • 罰則・bassoku・multa
  • 13歳未満・juusan sai miman・menor de 13 anos
  • 歩道・hodou・calçada
  • 左側通行・hidarigawa tsuukou・mão pela esquerda
  • 職員・shokuin・funcionário
  • ヘルメットをかぶる・herumetto wo kaburu・usar capacete
  • 事故を防ぐ・jiko wo fusegu・evitar acidentes
  • 周知・shuuchi・conhecimento geral, fato público

MICHEL TELÓ NO JAPÃO


AVISO・お知らせ

ATENÇÃO! 

A pedidos, a página MUITO BRASIL está de volta! Na sessão MUITO BRASIL, vocês irão encontrar pequenos textos e fotos de tudo o que poderia facilmente ser classificado como "muito brasil" e que mostra um pouco dos mais diversos aspectos do país e do povo brasileiro, destacando assim algumas diferenças culturais entre o Brasil e o Japão!  



EU, INTÉRPRETE

Muita gente me perguntou /pergunta como foi trabalhar pela FIFA como intérprete da seleção japonesa, como foi estar junto com os jogadores, se eles são maneiros, se deu para viajar e conhecer os lugares onde foram realizados os jogos etc. Imagino que não terei como responder a todas as perguntas - até porque muitas informações são sigilosas - mas tentarei explicar um pouco de como foi minha experiência na Copa das Confederações.



FIFA
Fui contratado pelo COL / FIFA para ser TLO do Japão, um dos times participantes da Copa das Confederações. Cada seleção participante da Copa das Confederações teria o seu próprio TLO  - Team Liaison Officer  - ou em português claro, Coordenador de Atendimento à Equipe. Eu fui escalado para comandar, servir, ajudar, coordenar, trabalhar junto com a equipe japonesa de futebol e servir de elo com qualquer brasileiro que quisesse se dirigir à seleção. Quando digo equipe de futebol, não me refiro apenas aos jogadores, mas sim toda a comissão técnica.

Era meu trabalho servir de intérprete entre todos os membros da delegação e as equipes dos hotéis, dos aeroportos, dos campos de treinamentos etc. Fui intérprete nos encontros de médicos japoneses com médicos brasileiros. Também traduzi as reuniões dos chefs de cozinha, japonês e brasileiro que discutiam sobre o menu do café da manhã, do almoço e do jantar. Traduzi algumas entrevistas dadas pelos jogadores à imprensa brasileira.

Mas além de intérprete, era meu trabalho, por exemplo, providenciar e controlar os horários dos veículos que a delegação iria utilizar no dia seguinte. Também era meu trabalho atualizar quase que de minuto a minuto as atividades da delegação para a FIFA, assim como controlar e reservar os assentos dos voos entre sedes. Enfim, a função de intérprete era apenas uma das minhas tarefas como TLO ou Coordenador de Atendimento à Equipe, mas o principal era cuidar para que tudo corresse bem, saísse da melhor maneira possível, não desse problemas e não destoasse de tudo o que estava previsto e planejado tanto por parte da FIFA, como por parte da delegação japonesa.

PESSOAS E PESSOAS

Em um país inteiro as pessoas são iguais? Em uma sala de aula, as pessoas são iguais? E em uma família? Pois então, com a delegação não poderia ser diferente. Mas no geral, posso dizer que a maioria foi muito, mais muito gente fina. Desde os jogadores, passando pelos médicos e comissão técnica até os dirigentes e presidente e vice da associação japonesa de futebol. Todos me trataram como um membro da delegação. Ao final, já trocávamos piadinhas, ríamos juntos, torcíamos juntos e nos ajudavam uns aos outros sem distinção de japonês, brasileiro ou italiano. Conversei com a maioria dos jogadores, tanto durante os treinos, durante as refeições, já que eu comia junto, nos momentos de descanso etc. Fui com alguns deles até a rua e ao shopping. Sempre conversando como "bons amigos". Eles me perguntavam porque eu falo japonês, perguntavam sobre o Rio de Janeiro, sobre o que fiz no Japão, sobre o Brasil e assim íamos caminhando e papeando...

Tinha claro uns estrelinhas. Mas onde não há? Imagina sendo um jogador de seleção que joga fora do seu país e estando em outro, sendo tratado como popstar com tudo do bom e do melhor. OK, nada que justifique, mas, se no mundo há pessoas e pessoas, com os jogodores, não poderia ser diferente.

SERES HUMANOS

Sem sombra de dúvida, o melhor de ter trabalhado nessa copa foram as pessoas que conheci. Tudo bem que falei com tanta gente, mas tanta gente que não me lembro do nome de todas. Mas algumas delas marcaram, me ajudaram, me foram úteis, se preocuparam comigo, me deram a mão, foram pessoas muito, muito boas para mim. Claro que me identifiquei mais com umas do que com outras e, aquelas com quem me identifiquei, foi realmente divertido e gratificante trabalhar. Era como se tivéssemos estudado juntos durante anos e no final de tudo, era como se estivéssemos nos formando. Foi uma sintonia tão grande durante tão poucos dias, que chega a ser algo estranho, mas ao mesmo tempo, muito bacana! E pensar que no Japão nunca havia conhecido tanta gente como conheci nessa copa. E pensar que no Japão, trabalhei anos com japoneses que se quer fui à casa deles e com brasileiros com que trabalhei alguns poucos dias, me senti totalmente à vontade. Valeu a pena, principalmente, pelos seres humanos que conheci! Obrigado aos colegas do COL e aos contratados e voluntários de Brasília, Recife e BH! Obrigado gente!



LUGARES

Por incrível que possa parecer, Brasília, Recife e Belo Horizonte, eu nunca ,havia estado. Fui em todos estes lugares pura e simplesmente a trabalho. Quero dizer que não tive o menor tempo ou chance de visitar nada. Nem catedral, nem praias, nem porto de galinhas - Andrea está me devendo! - , nem nada. Não dava. Era ligado e disponível 24 horas. Mesmo quando eles não estavam jogando, eu estava à disposição no lobby ou em reunião no escritório ou traduzindo alguma reunião ou fazendo reunião com os motoristas que trabalhariam no dia seguinte ou respondendo emails etc etc.

OS JAPONESES

Foi muito bom trabalhar com eles. Japoneses estes que além da cultura de pensar nos outros e não procurar causar nenhum incômodo, possuem ainda a vivência de terem viajado por outros países, o que os difere e muito dos "outros" japoneses. São pessoas comunicativas, extrovertidas, abertas, flexíveis e cientes de que estão em um país de cultura diferente. Me entendi muito bem com todos eles. Me tratavam com muito respeito e profissionalismo. Eu sei que eu já disse isso, mas não ser tratado com a hieraquia que se vê no Japão em salas de aulas e empresas e por ter sido visto como "mais um" da equipe e ser chamado até de "membro da família" foi realmente gratificante para mim.

A EXPERIÊNCIA

Poder vê-los de perto, conversar como pessoas normais, viajar no mesmo avião, hospedar-me no mesmo hotel, ser útil a eles de alguma forma e estar a todo o tempo bem próximo da seleção japonesa de futebol masculino foi uma experiência que certamente não vou esquecer jamais. Não foi fácil. Agora relembrando, eu mesmo me dou conta do tanto que fiz, em cooperação com muita gente, mas fiz. Eu arriscaria até a dizer que talvez, se tivessem me dito de antemão tudo o que eu fiz, talvez eu ficaria com receio de aceitar na dúvida se eu daria conta do recado ou não. Mas acho que cumpri minha missão. Os japoneses me elogiaram muito, me agradeceram demais e se despediram de mim certos de que eu estarei com eles na Copa do Mundo de 2014. Obrigado a todos, aos que me proporcionaram essa experiência, aos que confiaram em mim, aos que trabalharam comigo, aos meus amigos que torceram por mim e acompanharam minha aventura e em especial à minha família que me apoiou e torceu por mim do começo ao fim. Muito Obrigado.