30/10/2014

NOVOS SABORES DE FANTA!

Junte o quase fetiche dos japoneses por produtos com produção limitada com a paixão por algo diferente, alguma novidade, incluindo os sabores esdrúxulos de seus produtos que vira e mexe lançam sabores dos mais variados possíveis! Que o diga o chocolate Kit Kat que possui versões próprias de diversas províncias do Japão com uma até de batata-doce e a Fanta que já chegou a lançar Fanta Pepino! Portanto, este post não tem muito o que dizer. É apenas uma rápida passagem para anunciar aos leitores os sabores de Fanta mais recentes! 



Fiquem agora com o comercial da Fanta veiculado na TV japonesa para o Halloween!



BICICLETA NO JAPÃO É COISA SÉRIA!

Dia desses, para ser mais preciso, no Dia Sem Carro, falou-se muito em ciclovia, em ir ao trabalho de bicicleta etc. A iniciativa é boa. Mas acho que é preciso ver que a consciência, ou melhor, a cultura de andar de bicicleta no Brasil é bem diferente, se comparado ao Japão ou até mesmo China, onde nesses lugares, a bicicleta é muito mais que um instrumento de exercício ou lazer. É um meio de transporte.


Claro, que é preciso começar de alguma forma, seja com ciclovias - mesmo que haja carros estacionados nelas ou gente caminhando - mas já é alguma coisa. No Japão por exemplo, andar de bicicleta já deixou de ser apenas uma forma de  se divertir ou praticar exercícios apenas como um estilo de vida saudável. Claro que mesmo para algumas pessoas no Japão também são uma forma de diversão e lazer. Mas para a maioria das pessoas é mesmo um meio de transporte como outro qualquer e como tal tem suas regras de uso. Sei que já comentei sobre isso aqui no blog muitas e muitas vezes mas algumas chamam sempre atenção e despertam muita a atenção das pessoas quando eu conto por exemplo que no Japão fazem até blitz de bicicleta na calçada ou que é proibido carregar alguém na garupa, que não seja criança pequena e que não esteja em bicicleta apropriada para tal.


Vale lembrar que as regras são bem rígidas e acredito eu que devam variar até um pouco de província para província, mas o principal acho que todos sabem. Pegamos um panfleta da Prefeitura de Kanagawa para tomar como exemplo e vermos algumas das regras que são impostas para quem anda de bicicleta!



No número 1, por exemplo, avisa que bicicletas devem andar na rua, e não na calçada. Há, claro, diversas exceções à regra, como esta do cartaz que diz que bicicleta pode andar na calçada desde que tenha a placa indicativa de que é permitido a pedestres e bicicletas transitarem por aquela calçada. Já o número 2 ensina que bicicletas devem andar do lado esquerdo. Mais maneiro são os itens de segurança demostrados no número 4 que diz que é proibido andar sob efeito de álcool, andar de pé na garupa e andar paralelamente. No mesmo item, eles lembram que à noite, além da luz dianteira que deve estar acesa, é preciso parar nos cruzamentos para verificar se vem carro ou não. 
Por último, ainda no mesmo panfleto, podemos ver que na prefeitura de Kanagawa é proibido falar ao celular enquanto estiver andando de bicicleta E INCLUSIVE É PROIBIDO andar de bicicleta com fone de ouvido! Detalhe para a multa: até 50 mil ienes, o que equivale a cerca de R$1000,00. Fiquem agora com algumas sinalizações especiais para usuários de bicicletas!



"PREFERENCIAL DO PEDESTRE"



"PERMITIDO TRÂNSITO DE BICICLETAS"



"FAVOR DESCER DA BICICLETA E EMPURRÁ-LA"

TSUNAMI SE APRENDE NA ESCOLA

Mais do que o relatório que o Ministério da Educação do Japão fez para identificar quais escolas públicas do país estão vulneráveis à invasão de tsunami, achei a pintura na parede de uma das escolas algo muito, mas Muito Japão! Além do desenho bem gracioso, as descrições em ideiogramas indicam "escada para refugiar-se de tsunami".  Diga-se de passagem o governo identificou 2.860 escolas com possíveis riscos de invasão das águas. A matéria afirma que, além de ser o primeiro estudo do gênero feito no país abrangendo todas as escolas japonesas, o relatório inclui não somente as escolas propícias à invasão das águas por completo como também a possibilidade de as águas invadirem parte da escola. O resultado mostra as escolas que já se adaptaram, as escolas que estão estudando fazer adpatações e que adapatações são estas. Fico imaginando levar meu filho na escola e ver uma porta escrito na parede em letras garrafais a frase: "Saída de Emergência em Caso de Assalto". Cada país com seus problemas...

24/10/2014

MESMO COM A QUALIDADE CONTESTÁVEL, ANÚNCIO GANHA VERSÃO JAPONESA

Sim! O que parecia ser um anúncio sem graça, infantil, feito por amadores, como foram os comentários sobre o novo comercial do iphone 6, está sendo veiculado no Japão a versão japonesa!

VERSÃO EM INGLÊS・英語版のCM




VERSÃO EM JAPONÊS・日本語版のCM

CADEIRAS SEM PÉ FAZEM SUCESSO NO JAPÃO

Não há nada mais Muito Japão que um "kotatsu". O que é um "kotatsu"? Em bom português, nada mais é do que uma mesa de centro com um aquecedorzinho acoplado debaixo do tampo da mesa e que o mesmo se desprende dos pés da mesa para poder colocar um cobertor quadrado para não deixar o ar quente sair. É uma delícia no inverno!Relutei muito para comprar mas não resisti. 

Agora é época de anunciar as vendas de "kotatsu" para quem não tem e para quem já tem, pode trocar a "roupa de mesa" do "kotatsu". Reparem nas fotos abaixo. Este é um panfleto original de uma loja japonesa que já está anunciando! São vários modelos, formas e tamanhos.


Outra coisa bem Muito Japão são as cadeiras sem pé! Isso mesmo! Chamadas de 座椅子・ZAISU, são como cadeiras onde você pode sentar nelas e encostar-se normalmente. Apenas, não tem pés! Este tipo de cadeiras são próprias para ambientes com tatame. Reparem que no panfleto eles também anunciam este tipo de móvel! 


Lembro que mais esdrúxulo do que a existência de uma cadeira sem pés foi ver isso em um internet café! Isso porque além de cadeiras normais, cadeiras reclináveis e até cadeiras de massagem,  eles oferecem a opção sala com tatame, logo, tudo fica à meia altura e consequentemente, uma cadeira sem pés é o ideal! E que tal um "zasofá"?



O que mais acho maneiro nisso tudo é justamente essa "cultura" que os japoneses têm de se manterem próximos ao chão. Não sei explicar, mas é algo que para mim como ocidental, vindo de um país com cadeiras, mesas, mesa só para computador, cama e etc me faz pensar...

14/10/2014

AUMENTE SEU VOCABULÁRIO !

Uma das formas de se tornar fluente em um idioma estrangeiro é, sem dúvida nenhuma, aprender o vocabulário e expressões pertinentes a algum assunto que te de prazer em ler ou relacionado a algum hobby seu. A outra forma é saber em japonês palavras que dizem respeito a algo sobre sua própria cultura, costumes ou algum momento ou evento relativo ao seu país. Portanto, nada mais pertinente do que aprendermos em japonês palavras relacionadas com o tema "eleições presidenciais"! E vamos ao vocabulário! 


  • 総選挙・sousenkyo・eleições gerais
  • 大統領・daitouryou・presidente
  • 大統領選・daitouryousen・eleições presidenciais
  • 討論会・touronkai・debate
  • 投票する・touhyou suru・votar
  • 投票日・touhyoubi・dia da votação
  • 候補者・kouhosha・candidato
  • 有権者・yuukensha・eleitor
  • 世論調査・yoron chousa・pesquisa de opinião
  • 政党・seitou・partido político
  • 労働者党・roudousha too・partido dos trabalhadores
  • ブラジル社会党・burajiru shakai tou・partido social brasileiro
  • 民主社会党・minshu shakai tou・partido social democracia
  • 再選する・saisen suru・reeleger
  • 当選する・tousen suru・eleger
  • 一次選挙・ichiji senkyo・primeiro turno (eleições)
  • 決選投票・kessen touhyou・segundo turno (eleições)
  • 白票・hakuhyou・votos em branco
  • 無効票・mukouhyou・votos nulos

13/10/2014

NOTÍCIAS MUITO JAPÃO

Claro que no Japão nunca veremos nenhuma notícia sobre pacificação de favelas, arrastões em praias ou qualquer utra coisa do gênero. Portanto, é óbvio que haja notícias típicas de um determinado país. Mas vou confessar que acho particularmente interessante algumas notícias e determinados focos de notícias que são dados no Japão. Normalmente são notícias que, pode até ser que sejam vistas em outros países, mas normalmente são notícias que quando vejo, transfiro logo para o Brasil e é neste momento que penso, "nossa, no Brasil nunca vi algo desse tipo" ou "como seria no Brasil?". Notícias de embaratecimento de produtos ou mesmo sobre preços de produtos da cesta básica que aumentaram depois de 10, 15 anos sem aumentar e coisas do gênero. Essa semana por exemplo, vi duas notícias que considero Muito Japão. Uma delas, além de MJ, me chamou a atenção o fato de estar na primeira página do jornal em posição de destaque.


A notícia (foto acima) tratava dos ataques frequentes de ursos a moradores de uma determinada província japonesa. Segundo a manchete que, volto a dizer, ilustrava a primeira página do jornal local, o frequente aparecimento de ursos na região são causou 10 vítimas. A matéria ainda diz que um homem ficou ferido após ser atacado por uma espécie e que outros tantos animais são vistos pela região.



Outra matéria que achei ser MJ foi a aproximação de um tufão do arquipélago japonês. Claro, aqui no Brasil também falam do tufão que passa pela Ásia. Mas o que torna a matéria MJ é a quantidade de informações e a precisão a respeito do fenômeno. Eles mostram detalhes como proporção, de onde está passando no momento, assim como a data prevista para alcançar o país, o possível trajeto do tufão até deixar por completo a área do arquipélago etc. Eu sei que já comentamos várias vezes aqui no blog sobre as notícias sobre tufão, terremotos e afins, mas nunca deixo de achar algo MJ, principalmente, quando a gente que vive no Japão se dá conta de que catástrofes naturais fazem parte do dia a dia no país, muito mais do que simplesmente quando passa.

12/10/2014

FACEBOOK JAPONÊS GANHA VERSÃO DIALETO DE KANSAI


Imagine se você pudesse configurar o seu Facebook com "Português (Carioca)" e, com isso,  em lugar do botão "curtir", apareceria a palavra "Maneiro!". Achou...maneiro? Sem graça? Preferia um "da hora!" ou um "sita trem bom!"? Bom, seja lá como for, só digo que não existe nenhum deles, mas não é impossível que um dia possa vir a existir.

Digo isso porque, além da língua japonesa padrão - que para quem não sabe, significa dizer a língua da capital - a equipe do Japão do Facebook conseguiu que fosse incluído nos idiomas oficiais da rede social o "kansaiben" , a variação da língua japonesa falado na região de mesmo nome, Kansai.


ONDE FICA A REGIÃO DE KANSAI ?
Região que compreende as seguintes províncias:
Nara, Wakayama, Quioto, Osaka, Hyogo e Shiga  
(em destaque na foto abaixo)


Muito bem, nessa região a língua japonesa tem "outra cara". O povo também. É na Região de Kansai, também conhecida como "kinki chihoo"・近畿地方, onde além da língua japonesa padrão, chamada em japonês de "hyoojungo"・標準語, que vamos encontrar os japoneses mais "cariocas" do Japão. De um modo geral, são animados, com bom humor, extrovertidos e têm uma característica que eu particularmente adoro: falam com desconhecidos na rua. 

Sobre o que alguns chamam de "dialeto",  falamos sobre isso uma outra hora, mas deixo aqui um comparativo do FB em Português , em Japonês (Padrão) e Japonês (Kansai). Fiquem em seguida com a notícia publicada na mídia japonesa sobre o assunto e aproveite para rever ou aprender novas palavras em japonês!



JAPONÊS・日本語

FACEBOOKは10月8日、ブラウザ版の言語設定に「関西弁」を追加したことを発表した。このバージョンを選ぶと、たとえば「いいね!」が「ええやん!」、「コメントする」が「つっこむ」、「シェア」が「わけわけ」(関西弁で分け合うという意味)と表示されるようになる。期間限定の企画などではなく、正式に実装されるというから驚きだ。実はFACEBOOKではこれまでも、英語が逆さまになって表示される「English(Upside Down)」など、一部でユニークな言語表示を可能にしていた。こうした前例もあり、日本のチームから「関西弁バージョンを作ってみてはどうか」という話が持ち上がり、実装に至ったのだという。ただし、今回のような“方言”への対応はまだグローバルでも珍しいそうだ。

 関西弁に切り替えるには、ニュースフィード右側カラムの下にある現在の言語をクリックし、表示された言語一覧から「日本語(関西)」を選ぶ。設定画面の「一般アカウント設定」から変更することも可能だ。適用すると「いいね!」などのアクションだけでなく、画面上部の「友だち、スポット等を検索」などの表記も関西弁に切り替わる。実際にどこが変わっているのか、自身の目で確かめて欲しい。なお、FACEBOOKは9月末に、メッセンジャー向けに提供していたスタンプを、タイムライン上のコメント欄でも使えるようにしたばかり。この機能も世界に先駆けて日本で実装されたものとなっている。

VOCABULÁRIO・語彙

ブラウザ版・burauza ban・versão browser
言語・gengo・idioma
設定・settei・configuração
関西弁・kansaiben・dialeto de kansai
追加する・tsuika suru・acrescentar
発表する・happyou suru・divulgar
バージョン・baaajon・versão
選ぶ・erabu・escolher
分け合う・wakeau・compartilhar
意味・imi・significado
表示する・hyouji suru・mostrar
期間限定・kikan gentei・tempo limitado
企画・kikaku・projeto
正式・seishiki・oficial
実装する・jissou suru・implementação
驚き・odoroki・supresa
実は・jitsu wa・na verdade
英語・eigo・inglês
逆さま・sakasama・de cabeça pra baixo
一部・ichibu・uma parte
ユニーク・yuniku・único, singular
可能・kanou・possível
前例・zenrei・exemplo anterior
方言・hougen・dialeto
珍しい・mezurashii・raro
切り替える・kirikaeru・mudar
言語一覧・gengo ichiran・lista de idiomas
設定画面・settei gamen・tela de configuração
変更する・henkou suru・mudar
メッセンジャー・messenjaa・messager
タイムライン・taimurain・linha do tempo
コメント欄・komento ran・campo de comentário
機能・kinou・função
世界に先駆けて・sekai ni sakigakete・pioneiro no mundo

Você sabia que o Muito Japão tem uma página no FACEBOOK? Pois é, na página do Muito Japão no FB, você vai estar em contato com outros leitores do blog. Sã pessoas que já moraram no Japão, gente que mora ou que gostaria de morar, gente que estuda japonês, gente que já fala, gente que não sabe nem ler nem escrever japonês, mas admira a cultura japonesa e o Japão, enfim, não vai faltar gente para você trocar figurinhas sobre o que é do seu interesse quando o assunto é JAPÃO! Clique no logo do Facebook e torna-se membro agora mesmo! Esperamos você lá!

09/10/2014

O JAPÃO SEGUNDO UM BRASILEIRO: SERGIO PEREIRA

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Ele é brasileiro, nascido no Rio de Janeiro. Sem ascendência japonesa. Porém, sempre sonhou em visitar o Japão e ver tudo o que gostava com os seus próprios olhos. Você já ouviu essa história em algum lugar antes? Pois é, pode ser que seja a sua história ou que a sua seja bem parecida. Mas ele conseguiu! O sonho de conhecer o Japão de perto foi realizado por mais um brasileiro: Sergio Pereira (33).

Sergio é leitor aqui do blog e um dos membros do Muito Japão no Facebook. Foi lá que começou a trocar ideias e a colher informações de como aproveitar melhor sua ida ao outro lado do mundo. Isso foi há 12 meses. E agora, de volta ao Brasil, ele compartilha com a gente, como foi a sua experiência de ver de perto tudo aquilo que antes fazia parte apenas do seu imaginário e do que conhecia por fotos.

Nesta ENTREVISTA EXCLUSIVA, Sergio nos conta que lugares visitou e de onde gostou mais, como foi sua comunicação no país, enfim, sua primeira impressão que teve do Japão.  Ao longo da entrevista, você confere algumas das fotos que Sergio nos enviou! Confiram a entrevista com Sergio Pereira!



"O Japão é maravilhoso! Não é perfeito, claro, mas tem muita coisa a nos ensinar. E nós sim, temos muito a ensinar também" 




Por que Japão? Sempre gostei da música pop japonesa, principalmente os grupos mais antigos, como Dreams Come True, Southern All Star, etc. Depois, com a vinda dos animes e tokusatsus e a possibilidade de acompanhar as novelas japonesas pela internet, o interesse só foi aumentando.

Já havia estado em outro país? Não, foi minha primeira viagem internacional. Na verdade nem tinha saído muito do meu próprio estado. Viajar é algo novo para mim.

Como e quando surgiu a ideia de ir ao Japão? Sempre achei que uma viagem ao Japão seria extremamente cara e impossível de se fazer "por conta própria", que precisaria de uma agência, excursão, etc. Porém uma amiga foi com o noivo e em seu relato me mostrou que era possível. Utilizei os passos dela como base para a minha própria viagem e fui começando a procurar mais informações. O Muito Japão entrou nessa época.

Chegou em algum momento a desanimar ou achar que nunca iria? Incrivelmente não. Sempre gostei de fazer tudo bem pensado e planejado, e caso houvesse algo que realmente impedisse a viagem, eu simplesmente a adiaria. Como tive muitas pessoas me apoiando, tanto do grupo quanto fora dele, as dúvidas iam sendo sanadas e o caminho cada vez mais claro.

O que te motivou a ir? Justamente o meu interesse pelo país e o apoio dessa amiga que falei e das pessoas que fui conhecendo na internet. Ao contrário do que eu pensava, eu não encontrei nenhum "você é um maluco, isso não vai dar certo", e sim muitos "nossa, que legal, parabéns, desejo tudo de bom, posso te ajudar?". Assim tive muito apoio, que foi me motivando cada vez mais.

Onde gostaria de ir primeiro? E foi? Como foi? Comecei por Quioto, um lugar que realmente sempre quis ir. Foi muito bom, gostei até mais do que Tóquio. É um pouco mais calma, pude conversar com algumas pessoas, fazer amigos. É uma cidade muito bonita e muito bela, e foi uma boa "adaptação" antes da correria de Tóquio. Se alguém pretende fazer Quioto e Tóquio, recomendo que faça Quioto primeiro. É bem interessante a mudança quando você chega a Tóquio, toda gigante com aqueles arranha-céus, vindo da calma Quioto. Você sente melhor a modernidade e você está mais seguro também, por ter estado antes em uma cidade mais tranquila.




O que mais gostou? É difícil essa... rs O que mais gostei realmente foi a capacidade de organização e dedicação dos japoneses. A presteza em lhe ajudar e como cada um cumpre bem seu papel. As coisas realmente funcionam e são bem simples de se compreender e utilizar, como trens e metrôs. É um lugar totalmente diferente, mas ao mesmo tempo é intuitivo, direto e prático de se "pegar o jeito".

Não gostou de algo? Se decepcionou com algo? Não diria "decepção" em nenhum momento. Não tenho nada que possa dizer que era ruim ou que não gostei, acho que por já estar preparado para a maioria das questões "diferentes", mas posso citar que o estilo mais "reservado" de Tóquio me impressionou, achei que seriam mais abertos a comunicação do que em Quioto, mas foi o oposto. Assim, conheci poucas pessoas em Tóquio. Na questão do contato com as pessoas, Quioto foi bem mais espontâneo.

Viu algo que julgou esquisito? O quê? Nossa, tanta coisa (risos). Além da sensação de segurança, sim, ir dormir e deixar as bicicletas sem corrente apoiadas no muro das casas é algo bem esquisito pra mim (risos), sempre tem as comidas, como polvos e "snacks" de peixe inteiros vendidos nas lojas de conveniencia. Aliás, as lojas de conveniência eram a fonte de coisas estranhas. Comprei muita coisa doce achando que era salgada e vice-versa. O fato das pessoas sentarem muito no chão das estações/praças/etc me causou muita estranheza também.



Como foi a comunicação? Você fala japonês? Usou alguma coisa? Não falo japonês, mas sou fluente em inglês, o que ajudou bastante mas não tanto quanto eu imaginava... Poucos japoneses que encontrei falavam inglês, e era um inglês BEM diferente do americano (risos). Logo no primeiro dia em Quioto minha bolsa arrebentou e eu precisava de um alfinete de fralda de bebê para segurar o fecho. Foi uma aventura fazer o rapazinho da loja de conveniencia entender o que eu queria! Ao final, apelamos pro papel e caneta e começamos a jogar "Imagem & Ação" no balcão! O mais divertido foi que, quando ele entendeu o que eu queria, disse que na loja não tinha. Mas ele escreveu (em japonês) o nome do alfinete e me ensinou a falar. Quando cheguei na loja do lado, entreguei o papel para uma senhorinha que achou tão engraçado o turista com a bolsa arrebentada e o papel na mão que não só me vendeu o alfinete como me deu um punhado de balas de cortesia (risos) .. Eu cheguei a baixar uns aplicativos de celular pra tradução, mas ignorei-os totalmente. Parte da graça da viagem era justamente o contato com as pessoas, as mímicas e os contratempos. Eu esqueci dos apps e fui na cara e coragem mesmo. E foi ótimo.

Comeu algo que não tem no Brasil? Além dos vários Kit-Kats, comi sim. Muita carne de porco, udon, ramen... Tem no Brasil, claro, mas eu pessoalmente nunca tinha comido. Gostei muito dos sucos e refrigerantes, são bem diferentes e com sabores muito mais variados.

Que lugar mais gostou e por quê? Arashiyama, em Quioto, pela beleza, calma e conservação. Os jardins são lindos e o tempo parece que não passa naquele lugar. É um lugar que quero voltar com certeza.

Poderia dar uma impressão sua sobre segurança? A melhor possível. Fui literalmente "desarmado" pelo Japão. Minha única preocupação era não perder minha carteira ou documentos, porque de assaltos não tive medo algum. Cheguei em Quioto à meia noite e caminhei tranquilamente pelas ruas até chegar ao hotel. Andava tranquilo em Tóquio mesmo à noite. Muito bom.



Lembra de alguma história engraçada ou gafe que tenha cometido? Além da história do alfinete, geralmente confundia as - poucas - palavras que sabia em japonês. Por mais de uma vez repeti o "irashaimase" (seja bem-vindo) em alto e bom som para os atendentes da loja, fiquei em pé na frente do metrô quando tinha uma fila enorme do lado, além da trágica - e bota trágica nisso - inversão de Kinkakuji com Ginkakuji... Cheguei no templo errado, no último dia em Quioto, e acabei não vendo o templo dourado... Ficou pra uma próxima. Pior que todo mundo que eu encontrei depois perguntava "ohh esteve em Quioto? O Templo de Ouro é lindo não é?".... rss

O que aprendeu com essa viagem? Sua imagem do Japão antes de ir e depois mudou? Mudou muito. Aprendi a gostar ainda mais dessa cultura e desse país. Vi de perto todas as maravilhas e também conheci as partes não tão boas. Conversei com muita gente e procurei não ter o "ar turista" que só vê as coisas boas, através das lentes da câmera. Falei, perguntei, conversei. Procurei apreciar ao máximo as pessoas e sua relação com o lugar. Foi maravilhoso.

Como foi o relacionamento com os japoneses? Foi fácil. São simples e muito prestativos. Apenas duas pessoas foram ríspidas comigo, tenho que admitir, mas todas as outras, de crianças a policiais, senhoras idosas a adolescentes, todos pararam para me ajudar quando pedia. alguns iam comigo até o destino, mesmo que na direção oposta. Os jovens são bem tímidos às vezes, e achei mais fácil conversar com adultos. Todos são muito solícitos. Em um certo templo em Quioto encontrei alguns professores japoneses de uma escola local, que vieram falar comigo e se interessaram pela minha viagem. Pediram aos alunos - um por um - que me cumprimentassem e me desejassem boas vindas ao Japão. Foi um contato muito legal que tive.



Que mensagem daria aos leitores do blog? Imagino que todos tenham vontade de conhecer o Japão, assim como eu tinha, e os que já conhecem desejam voltar.. Pois eu digo que não desanimem e sigam em frente pois vale a pena! Muito! Não é algo fácil nem barato, mas mesmo que consuma 2, 3 anos de planejamento ou mais, não desistam dessa meta. O Japão é maravilhoso! Não é perfeito, claro, mas tem muita coisa a nos ensinar. E nós sim, temos muito a ensinar também. Aproveitem, conversem, sintam o clima do país e principalmente das pessoas. Não se prendam em fotos, paisagens e sushis. O Japão é muito mais que isso. O Japão são os japoneses. Falem, conversem, arrisquem um "oi" ou "bom dia". Pois a viagem é isso, é levar e trazer, é compartilhar. É viver - nem que seja superficialmente e por um pouco de tempo - a vida de um lugar.

Sergio, o Muito Japão agradece sua participação e sua boa vontade em compartilhar com todos nós um pouco dessa experiência magnífica de realizar um grande sonho. Parabéns, acima de tudo, e muito sucesso! 

A seguir, mas algumas fotos enviadas por Sergio!