28/02/2010

Minha Vida de Servente - PARTE II


Ainda no Muito Japão I, eu escrevi um post sobre a cultura japonesa de cuidar você mesmo do ambiente que usufrui, seja a escola, seja a empresa. Não leu? Clique aqui. Muito bem, como se não bastasse a gente, funcionários da empresa onde eu trabalho, ter de recolher o lixo do andar, dos demais colegas, as latas, recolher também livros, revistas e jornais velhos e amarrá-los e levar tudo para o térreo e jogar na lixeira do prédio e repor os novos sacos de lixo nas três lixeiras que ficam na cozinha, a novidade agora chegou em forma de avisos na cozinha!























Agora nós temos que LIMPAR A COZINHA também!!! Isso mesmo!! Eu não disse "manter a cozinha limpa" ou "conservar a cozinha em bom estado de uso". Nada disso! Eu disse que nós é que temos que LIMPAR A COZINHA!!! O cartaz, em japonês e português, foi afixado esta semana na cozinha do nosso andar!



Vai ser assim: o setor responsável por recolher o lixo do andar, dos demais colegas, as latas, recolher também livros, revistas e jornais velhos e amarrá-los e levar tudo para o térreo e jogar na lixeira do prédio e repor os novos sacos de lixo nas três lixeiras que ficam na cozinha...ufa...será responsável também pela limpeza da cozinha. Como se não bastasse recolher o lixo do andar, dos demais colegas, bom, o resto você já sabe...temos que verificar o ralo, a cafeteira, a pia e as lixeiras da cozinha, o chão da cozinha, a geladeira, para ver se não tem nada fora da validade - e se tiver temos que jogar fora - e limpar tudo isso caso esteja sujo. Além disso, nós temos que cuidar para que os potes de café e de açúcar estejam sempre abastecidos.









Tudo bem. A ideia é perfeita para manter tudo limpo. É o tal negócio: se não quer ter trabalho para limpar, mantenha limpo. Nós é que estamos mal acostumados e blá blá blá...mas que às vezes, parar o trabalho para fazer trabalho de servente, muita gente há de concordar comigo que é chatão! Mas não pense que esse sentimento é coisa de brasileiro não! Tem muito japonês lá na empresa que se não puxar para fazer, os caras se fazem de joão-sem-braço! Sério mesmo!!


Sei que no Brasil, hoje em dia há empresas em que funcionários fazem a limpeza. Bom, isso eu ouvi dizer, mas realmente nunca vi. Se for uma pequena ou média empresa, eu até entendo que isso possa ser algo normal, mas será que no Brasil uma empresa com mais de 200 funcionários não contrataria uma empresa de limpeza para fazer a faxina e recolher o lixo? Vocês que estão no Brasil, como é que está a coisa aí?





Mas tenho que dizer que assim como no Brasil pode existir empresa em que os próprios funcionários cuidam da limpeza, aqui no Japão também há a versão contrária: empresas que contratam gente para fazer a faxina!! NÃO É TODA empresa em que os funcionários recolhem o lixo!! Já trabalhei em empresa em que funcionários da empresa e serventes (contratados) eram pessoas diferentes. Acho que em se tratando de um país onde desde criança eles cuidam da limpeza da escola, é mais provável que os japoneses estejam mais acostumados com a ideia de parar o seu trabalho para fazer faxina e recolher o lixo do que nós brasileiros que crescemos em uma sociedade onde a presença de um servente, uma empregada, um porteiro é coisa mais normal do mundo.



PS.: Gostaria apenas de deixar bem claro bem que eu não tenho nada contra os serventes, as faxineiras e demais pessoas do ramo da limpeza. Acredito fielmente que são pessoas dignas que fazem seu trabalho como outro qualquer e merecem tanto respeito quanto. Este post é apenas para destacar a diferença cultural que existe entre nós mesmos fazermos a faxina de onde trabalhamos e contratar outras pessoas para fazerem cada qual o seu serviço! Espero que não me interpretem mal...





RESULTADO DA PESQUISA・結果発表




7 comentários:

  1. E aí Caruso! Acho que podemos fazer um blogue no estilo Copa 2002: Japão-Coreia! hehehe Parece que aqui a coisa é igual, com a diferença que os coreanos têm fama de serem mais porquinhos que os japoneses. Mas na universidade uma coisa que eu achava estranho no início é que se a gente deixasse a sala bagunçada num dia, no outro dia ela estaria do jeito que a gente achou. Coisas mínimas, como farelo de borracha", fica lá pra sempre, a menos que o sujeito tenha consciência de não sujar. Assim como você eu tenho um sentimento duplo quanto a isso. É ótimo para as pessoas de darem conta do trabalho que dá limpar, mas dá muita preguiça... hehe. Lembro que no meu colégio no Brasil as faxineiras faziam milagres. Todo dia de manhã a sala tava novinha em folha. Talvez na escola esse tipo de coisa seja ideal, já que é um dos lugares onde a pessoa é educada. Bacana o post! Abração.

    ResponderExcluir
  2. Hummm,assunto polemico kkkkkk.
    Eu acho que deveria ter um pouco mais de senso para os japoneses nesse caso,tem lugares que normalmente suja demais e mesmo assim nao existem pessoas exatamente para a limpeza,ai sim eu concordaria em ter,mas nao concordo quando vc fala,Parar meu trabalho para fazer a faxina,pois para o japones a faxina faz parte do trabalho.A secretaria japonesa do meu marido eh antijapa,soh pode,ela nao tira nem o po da mesa dela se eu nao pedir,mas isso eh uma excessao,ja que todos aprendem desde a escola que devem cuidar da limpeza do local onde trabalham,estudam e etc,eles consideram uma coisa meio que "atarimae",sei la,eu entendo assim.Mas nao deixa de ser chato mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Só por curiosidade... Você trabalha com o quê?

    ResponderExcluir
  4. Muito legal o post!
    Eu também fui educado em escola japonesa e quando voltei pro Brasil, já senti no colégio que não tinha o horário de limpeza "掃除時間" - soujijikan, e ví que no dia seguinte tudo estava limpo! Depois fui saber que tinhnam faxineiras. Então eu me acostumei mal com isso. Aqui onde trabalho, as moças da limpeza não limpam nossas mesas, pois já ficou coisa fora do lugar do chefe e não fazem mais esse serviço. Então as nossas mesas e a copa (é onde fazemos nossos lanchinhos) nós mesmos limpamos!
    Eu acho legal essa cultura dos japas. Faz parte do famoso 5S...rs
    Abraços Japoringa!

    ResponderExcluir
  5. O post I eu já tinha gostado. O assunto é muiiiiiiiiiiitoJapao, mas a colaboração aqui no Brasil é zero.

    Acho até que poderíamos ter outras ações colaborativas como arrecadar mantimentos, agasalhos.

    Infelizmente a humanidade, e o Brasil não é diferente, não sabe o poder da coletividade.

    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  6. Acho importante essa consciencia de manter o local limpo. Este final de semana fui para a praia e no hotel uma senhora derrubou uma ameixa. O que ela fez me deixou chocada. Ela chutou a ameixa para baixo do balcao! Quer dizer que alem da faxineira ter que abaixar para pegar o dito , vai ter que arrastar para baixo do balcao para tirar aquilo de la. Se fosse minha filha de 2 anos, ela teria pegado e entregue para mim, ja que a educo para pegar o que cair no chao. E para uma senhora, o que se deve fazer ? Coloca-la de castigo ? Bem que merecia aprender um pouco o que a mae dela nao ensinou!... Lira

    ResponderExcluir
  7. Sou super a favor. Pelo menos até chegar minha vez. Uma coisa que não foi mencionada é que a cozinha é tão grande que não dá para andar de frente lá dentro, nem abaixar sem colocar alguma parte do corpo pra fora da porta. E também o trabalho é em time. Acho bom por que tem sempre um ou outro espírito de porco que está pouco se lixando para o asseio alheio e larga tudo emporcalhado na cozinha. Comida estragada na geladeira, resto de carne no ralo da pia, pó de café em tudo que é canto. Cambada de fdm!!! Eu limpo só para ter o prazer de saber que eles também vão ter que limpar as porcarias que eles fazem... e quer saber? É uma desculpa para sair da mesa e ir passear.É aquela coisa: se o patrão quer usar minhas horas, que são caras, para faxina. Oras, quem sou eu para dizer não?

    ResponderExcluir