16/11/2011

RESULTADO DA PESQUISA MUITO JAPÃO

Chegamos ao final de mais uma PESQUISA MUITO JAPÃO: "Sobre mendigos sujos e malcheirosos em meios de transporte públicos você é contra ou a favor?". Confesso que fiquei extremamente abismado com o resultado, ou seja, o número de pessoas contra (16) é praticamente o mesmo das pessoas a favor (14)! Como isso?

Não sou contra mendigos ou pessoas menos privilegiadas financeiramente, mas quando digo "mendigos malcheirosos" me refiro a pessoas sujas, que não tomam banho, que vestem roupas imundas e exalam um odor terrivelmente malcheiroso. E são justamente essas pessoas que ao permitirem a entrada nos transportes públicos, representam um incômodo muito grande às demais pessoas. Fico pensando principalmente nas crianças, não sei.

Para se ter uma ideia, um mendigo desses quando se senta no trem, ninguém senta perto. Fica quase que como uma redoma que não deixa ninguém se aproximar. É possível sentir o cheiro mesmo da ponta oposta do vagão e é por isso que quando a gente entra, é possível ver gente  - e eu tbm faço isso - procurando de onde vem o mal cheiro. 

Nos ônibus é a mesma coisa. Pelo menos dois lugares ficam vazios e, consequentemente, dois passageiros ficam de pé, porque um mendigo se senta e ninguém consegue sentar próximo, por razões, acredito eu, óbvias. Mas o que me impressiona é que permitem que esse tipo de gente entre e ninguém fala nada. Mas agora me assustei mais com o número de leitores que parece não ligar muito para isso...(rs) 

Bom, quem me conhece sabe que respeito a opinião de cada um e sou totalmente contra que todos pensem da mesma maneira e mais contra ainda que me façam pensar da mesma maneira de outros, mas gostaria de saber mais sobre a opinião de quem votou a favor. Gostaria de saber se são a favor por mera questão humanitária, pena, ou se tais pessoas sentariam ao lado destes mendigos malcheirosos sem nenhuma hesitação.

Já me disseram que no Brasil também tem isso, mas vou confessar que realmente, eu nunca vi mendigo em ônibus ou metrô. Não sei agora como está...

9 comentários:

  1. Aqui no Rio acontece em algumas linhas de ônibus. Normalmente, o cara senta nos bancos de atrás com um caso preto de lixo. No metrô, nunca vi.

    ResponderExcluir
  2. Gostar do mal cheiro, ninguém gosta... Mas daí dizer "você concorda com mendigos mal cheirosos?" foi... preconceituoso!

    Eu não tenho que concordar ou discordar disso, posso preferir um vagão limpo, mas isso não me dá o direito de dizer "não concordo com esse cara entrando todo fedido aqui". Daí fazer o que? Propor algo para que essas pessoas não entrem? E depois dizer que é só questão de 'tornar suportável para a maioria' e não é preconceito?! Ou só ficar discutindo como elas são mal cheirosas e incomodam?

    Se essa pessoa não tem lugar pra tomar banho ou se ela não toma banho por que não quer... Não me diz respeito.
    Espero que algum amigo ou familiar ajude essa pessoa, porque é triste ver isso... Mas existe uma lei humanitária que protege essas pessoas de sofrerem discriminação e estaria contra ela ser quebrada por vários motivos, mas no topo vem:

    "A injustiça que se faz a um é uma ameaça que se faz a todos."
    Montesquieu.

    ResponderExcluir
  3. Ninguem gosta de pessoas mal cheirosas por perto mas eu votei a favor pelo simples fato de que, se a pessoa paga não interessa se ela cheira bem ou não. E por varias vezes ja me deparei com essa situação no Japão e é claro fui sentar bem longe. No Brasil nunca vi.

    ResponderExcluir
  4. Eu posso falar por experiencia, que muitas das vezes que vou no metro em lisboa, apanho mendigos que cheiram mal, mas fora isso, não é mais nd que os torna dificeis de "suportar".

    Sim é verdade cheiram mal, mas isso não os torna menos pessoas que nós, simplesmente não têm como fazer uma higiene regular, por não terem meios para a fazer.

    Aind esta semana as 6 e kalker coisa da mnha apanhei uns quantos no metro e sim as pessoas já estavam a fazer a kelas caras e a fastarem-se é normal, ninguem gosta de levar com o mal cheiro de ninguem e aind por cima logo pela madrugada lol, mas quem não keria estar ao pé deles tinha um bom remédio, Afastar-se! E foi o que muitos fizeram.

    Uns minutos depois para terminar a minha bela mnha, ao apanhar o comboio levei com mais dois, que se sentaram logo ao pé de mim. Bem neste momento eu tinha duas hipoteses, ou ficava e aguentava o cheiro, ou levantava-m e ia para outro lugar; claro que eu escolhi por ficar, sim levei com o mau cheiro um bom bocado, mas também se me levantasse só ia atenuar o cheiro que já se tinha propagado na carruagem e nao ia fazer com que desaparecesse. Claro que eles tambem se sentiram mal por estarem a encomudar as pessoas, mas também disseram que quem estivesse mal que se mudasse...lol, eu sei k parece mal dito desta forma, mas é a verdade, quem não gosta mudasse.

    Portanto, na minha situação, o mau cheiro é o de menos, pior é se nos assaltarem ou mal tratarem.

    ResponderExcluir
  5. Confesso que nunca tive o desprazer de encontrar um "mendigo malcheiroso" no transporte público. Aliás, como eu pego ônibus quase sempre lotado, imagino o quão incômodo seria ter de ficar bem perto de um. Porém, Caruso, eu creio que marginalizar ainda mais essas pessoas, isolando-as de ambientes públicos, como ônibus e metrô, não seja a solução. Então, será que seria melhor criar um vagão só para mendigos? Também penso que não. Esse tipo de discriminação seria quase o mesmo que repetir o Apartheid, que, como você deve saber, foi uma das maiores demonstrações de intolerância humana.

    Eu acho que a mendicância é uma patologia social que precisa ser tratada com muito cuidado, afinal estamos lidando com seres humanos. Muitos dizem que os moradores de rua estão nessa condição por escolha própria, mas eu refuto essa idéia, pois qualquer pessoa sã não preferiria um chão duro de rua a uma cama confortável.

    Não sou ninguém para tentar dar uma solução para um problema que existe desde o surgimento das cidades, mas é fato que muitos casos de indigência estão relacionados com problemas como alcoolismo, vício em drogas e distúrbios psicológicos, e eu acredito que auxiliar as pessoas nesse sentido é um bom começo para sanação, ou pelo menos, para a atenuação dessa mazela social. No Japão eu não sei, mas no Brasil a extrema pobreza também é fruto da extrema desigualdade do nosso país.

    Eu todos os dias a caminho do cursinho me deparo com moradores de rua, por isso não lhe recrimino por sentir repulsa ao mal cheiro dos mendigos, pois é o mesmo que eu sinto. Contudo, acho que você não deveria estigmatizar essas pessoas pelo seu fedor, mas sim procurar entendê-las como seres humanos, que não deveriam estar naquela condição.

    Por esta razão, Caruso, enquanto vivermos em uma sociedade injusta e desigual, eu acredito que é lícito tamparmos os nossos narizes, mas nunca fechando os nossos olhos para o lado feio do nosso dia a dia.

    ResponderExcluir
  6. Mas se por mal cheiro, então vamos ter q tirar tbm aqueles trabalhadores suados, q fedem muito e os estudantes tbm... Mas como eu digo ninguem eh obrigado a ficar perto, deixa eles... Pelo menos se estao lá dentro eh Pq pagaram a passagem, lá no Brasil alem de pular a catraca, vc tem q ficar escutando ele falar, eu podia estar roubando, matando, mas estou aqui para pedir sua ajuda...etc...etc...qual eh melhor???

    ResponderExcluir
  7. Lilian o único problema que os estudantes "oferecem" a empresa e pagantes é o simples motivo de não sermos "pagantes", ou seja, temos o direito de entrar gratuitamente nesses transportes públicos, estamos exercendo nossos direitos como estudantes de rede pública, e quanto ao problema que oferecemos aos pagantes é que sempre que estamos sentados tanto no metro\trem\onibus, somos obrigados a aturar comentários de pessoas que se dizem cansadas do serviço e que nós, os culpados, não damos o lugar. Me poupem, mas somos gente como outro qualquer, só não entendi o por quê dos estudantes serem mal cheirosos,segundo sua afirmação.

    ResponderExcluir
  8. Eu já peguei onibus com gente fedendo pacas, daí o ventinho que entrava, passava pelo indigente e ia direto nas nossas narinas. Eu tinha que me mudar de lugar, mas nunca recriminei, porque se ele é gente igual e pagou para usar o onibus, fazer o que.
    E no Japão, eu só me lembro de um africano que trabalhava com a gente, infelizmente o cheiro dele era bem forte, nossa...o povo ficava doido!

    ResponderExcluir
  9. Sou contra gente mal cheirosa em transporte público. Sou contra também gente mal educada em transporte público. E como não ter asseio é falta de respeito com os outros e consequentemente falta de educação, fica explicado que quem cheira mal é mal educado. Se for para pensar que todos somos "seres humanos" e se "pagou tem direito", então vai a seguinte pergunta: "aceitaria um mendigo mal cheiroso num restaurante, no cinema ou namorando a sua filha?". Então... não somos todos seres humanos?

    ResponderExcluir