01/02/2012

TSUNAMÃO


Li esta reportagem ontem. O serviço de meteorologia na região afetada pelo tsunami, principalmente nas áreas de Iwate, Miyagi e Fukushima, foi advertido e acusado de negligência por terem demorado a atualizar o aviso sobre o tamanho das ondas que estavam se aproximando da costa. Segundo a matéria - e depois eu vi na TV - mesmo com ondas de 10, 20 metros, os alto-falantes anunciavam ondas de 3 metros durante muito tempo e os responsáveis pelos avisos foram acusados de provocar vítimas por terem atrasado as pessoas a se retirarem do local onde estavam e fugirem do perigo, já que as ondas era muito maiores do que eles falavam! 

As vezes eu penso: "tanto medidor, tanto controle, tanto ti-ti-ti, tanta frescura para no final acontecer isso!" Mas logo em seguida, eu mesmo penso: "puxa, são japoneses, mas são humanos também né? Podem errar ora!". Mas enfim, aconteceu. Os caras anunciaram ondas muito menores do que as que chegaram! Por isso, apartir de agora, para ninguém mais correr risco - nem a população de morrer e nem o serviço de meteorologia de ser acusado - decidiu-se por anunciar somente a proporção do tsunami, ou seja, em lugar de dizerem "ondas de tantos metros", irão dizer a partir de agora "ondas altas" ou "ondas gigantes". E para organizar isso, digo, definir, nada melhor do que uma coisa que faz parte da alma japonesa! UMA TABELA!!!!


A tabela mostra quantos metro equivale a uma onda "grande" ou onda "gigante". Assim, ninguém precisa se preocupar em definir o tamanho da coisa. É correr muito se a onda for "grande" e botar sebo nas canelas, se a onda for "gigante"! E pronto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário