11/08/2012

DoNaDa: CLIMA SINISTRO NO TREM

Quem acompanha o blog já deve saber que eu não sou muito dessa de escrever diário. Mas sabe também que ultimamente tenho arriscado umas linhas e colocado no blog alguns relatos de algumas coisas que aconteceram no meu dia a dia aqui no Japão. Hoje foi no trem.

Eu estava normalmente sentado, quieto no meu lugar, "olhando a paisagem" e de repente um olhar me atraiu. Sabe quando você sente que alguém não tira o olho de você e você acaba olhando? Foi exatamente isso. Se ainda fosse uma gatinha ainda vai. Mas era um cara. Não, não pensei nada de maldoso. Apenas, o que achei, foi que ele tinha um olhar meio sinistro. Sinistro mesmo. Era como se os dois olhos fossem de vidro. Não sei explicar. Não sei se era o fato de ele ser jovem mais ainda caldo e ter os ossos  na região da sobrancelha um pouco maus elevados, não sei. Mas era um cara meio sinistro. A sorte, era que ele estava bem afastado de mim.

Mas toda vez que eu olhava para ele, ele estava me olhando. Direto. quase que sem piscar. De repente, ele se levantou. Fiquei meio encucado porque o trem estava em movimento e não era porque havia chegado em nenhuma estação. Mas ele se levantou e eu mesmo fingindo que não estava olhando para ele, eu via que ele vinha em minha direção. Sinceramente, não sabia o que fazer, mas esperei para ver qual era. Juro que a primeira coisa que achei que ele fosse fazer , era meter a mão no bolso e tirar um canivete para me furar a barriga ou me cortar no rosto...mas resolvi esperar...

Eis que ele parou um pouco antes de mim. E o que ele fez? Meteu a mão no bolso e tirou uma máquina fotográfica. E tirou foto! De mim não. Ele tirou foto de um anúncio que estava bem em cima de mim. Por isso, no realidade, acho que ele estava era olhando o anúncio e, como estávamos longe, ele olhava para a minha direção, achei que ele estava olhando para mim. mas ele não deixava de ser sinistro por causa disso.

E de repente, no momento que eu relaxei e não olhei mais para ele, só escutei alguém gritar: "o que foi?!". E quando virei o rosto, era o cara sinistro, se estranhando com outro passageiro que não sei o que fez, mas que o irritou e ele fez como se fosse dar um soco no cara que estava sentado perto de onde o sinistro estava de pé. O carinha sentado, como medo, levantou e correu para um canto do vagão. O sinsitro continuou olhando e murmurando alguma coisa. O carinha que jea não estava mais com medo, mas apavorado, ameaçou a apertar o botão de emergência. E dizia: "Vou apertar hein! Vou apertar!".

Mesmo com o sinistro voltando para o lugar dele, o carinha ainda de pé e com as pernas tremendo, disse para mim e para alguns passageiros que estavam ao meu lado que iria apertar o botão, mas foi confortado por um senhor japonês que disse: "Está tudo bem. Fique calmo...". E ele respondeu: "Mas o senhor viu o que ele fez? Eu estou com medo...". E o senhor repetiu: " Fique calm. Ele não vai fazer nada!". O carinha foi se convencendo e ao mesmo tempo que se convencia, ia sentando lentamente, em câmera lenta e sem tirar os olhos do outro japonês sinistro que o ameaçou dar um soco...

Pois é. Por isso que eu costumo dizer que japonês é sim um povo muito educado, mas fora dos trens e metrôs. Não é a primeira vez que eu vejo passageiros se estranhando. Já vi briga de soco e tudo. Já vi bate-boca entre um homem e uma mulher dentro do trem, depois que ele deu uma cotovelada nela por estar encostando nele no trem cheio. Já vi briga de mulher de puxar o cabelo, já vi o trem parar para os seguranças entrarem para retirar um cara bêbado que estava gritando no trem etc etc...

E é justamente por isso que vira e mexe a gente vê cartazes e cartazes de campanha contra a violência nos trens. Isso mesmo! Campanha contra a violência não só de passageiro que se atraca com outro, mas também de passageiros que agridem os funcionários dos trens e da estação. Isso é mais comum do que muita gente imagina. Anteontem mesmo, eu tirei uma foto de uma cartaz desses.


暴力・BOURYOKU・VIOLÊNCIA


10 comentários:

  1. Ainda bem que você não encarou de volta o maluco trem. Nunca imaginei que esse tipo de situação pudesse acontecer no Japão.

    Se bem que, acredito que em todo lugar do mundo, deve ser sempre ter um doido no transporte coletivo.

    ResponderExcluir
  2. Não me surpreende que em ambientes que alimentem o estresse, como o caso dos transportes públicos, haja episódios de violência. Porém, eu não imaginava que no Japão eles fossem tão frequentes a ponto de haver campanhas, pois pensava que houvesse mais tolerância entre os japoneses.
    Mesmo assim, acho que no caso do Japão há uma atenuante que é o fato dele ser um país onde a população não tem acesso fácil às armas, ao contrário de nações como EUA e Brasil. Antes um louco com uma faca do que com uma arma, não é mesmo? Armas causam bem mais estrago.
    Até agora nunca vi nenhuma campanha dessas aqui no metrô de SP. Só não sei se é porque aqui esse tipo de violência é rara ou se é por descaso mesmo...
    Por fim, agradeço por nos compartilhar mais uma de suas experiências nesse país aí tão facetado.

    ResponderExcluir
  3. Quando estive no Japão. em abril deste ano vi:
    - senhor sem cerimônia "limpando o salão";
    - uma mocinha gritava,calava,batia palmas;
    - senhor tirou a meia e limpou entre os dedos dos pés;
    - senhores jogando golf imaginário nas plataformas;
    - pessoas falando sozinhas nos trens.
    O que estava escrito na placa atrás de você que fez o japonês tirar a foto?

    ResponderExcluir
  4. Tem certeza que vc não estava no trem da Central? Não tinha ninguém vendendo borracha de panela de pressão ou picolé do China (ou no caso, do Japa)?

    ResponderExcluir
  5. Eu gostei muito do Blog, nossa, primeira vez, porém, está de parabéns xD

    ResponderExcluir
  6. que sinistro! Japão é muitcho louco, já ouvi sobre crimes hipersinistros (muito mais que qualquer um do brasil que já vi) por aí, fora a Yakuza, os filmes pornos sinistros e filmes de terror! A mente dos japas é insana,ahaha....

    ah mas o pessoal sempre compara com o BRasil para deteriorar o Brasil. Comprar arma no Brasil não é nem um pouco fácil: precisa fazer curso e comprar o porte de arma. Arma ilegal talvez não seja tão difícil,mas, sinceramente DE LONGE compara com os eua e, outra, eu nunca vi vender arma por aí.

    ResponderExcluir
  7. Olha, aqui em Londres rolam os menos cartazes, mas as pessoas são tranqüilas, mesmo no trem. Se bem que tem funcionários beeeeeem folgados e com má vontade, mas não justifica dar na cara, né? Hahahahahahaha
    Legal seu blog! Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. arrematando o que Iruka disse, eu jah vi varias vezes tanto nos trens como gente no carro parado no farol, fazendo aquela "limpeza no salao" e comendo depois!!! >< ! 1 X era um desses "salary men" de terno e gravata, pastinha social no seus 30 anos, "limpando o salao" no trem...Fiquei tao pasma que comecei a encarar o cara pra ver se ele se parava. Piorou!!! o cara ficou me olhando nos olhos e comendo as "bolinhas" q ele tirava do salao...

    Outra coisa foi uma noticia que saiu no fim do ano passado creio sobre o governo "liberar" cerca de 75.000 pacientes com doencas mentais pois o gasto publico com eles era muito alto e eles nao "ofereciam" perigo...ou seja, gente falando sozinha, gritando, batendo palmas, tendo uns chilquizinhos aqui e meio coisa de cotidiano de quem pega trem no minimo 2 X por dia..

    ResponderExcluir
  9. Quanto ao cartaz das boa maneiras no trem, no JR tem um poster campanha para que passageiros na plataforma nao cuspam! na cara da pessoa que fica no ultimo vagao, checando pra fechar as portas/tocando a campanhia da plataforma.
    Nunca vi uma coisa dessas acontecer mas pra ter posters em algumas estacoes..eh pq esse tipo de coisa deve ser meio comum ne...
    Mas o que eu mais queria eh que fizesem um poster para que as pessoas parassem de peidar nos trens!
    Nao sei se japones come muito nabo e repolho mas,,, nos trens dessa area se peidam muito!

    ResponderExcluir
  10. assim, até certa parte achei engraçada a situação HEHE' Mas sorte sua que essa confusão não foi com você.

    ResponderExcluir