14/08/2012

JAPONÊS MANEIRO

No final do ano passado, eu tive o prazer de ter sido convidado para assinar uma coluna só minha na revista ALTERNATIVA, a melhor revista gratuita que há em português hoje no Japão, distribuída para todo o país. Para mim que já era leitor da revista há anos e gostando de escrever como eu gosto, foi uma honra. A coluna JAPONÊS MANEIRO estreou este ano e graças a Buda tem sido um sucesso! A intenção é mostrar o lado "maneiro" do idioma, mostrar curiosidades, fatos interessantes e dar dicas única e exclusivamente sobre a língua japonesa. Gostaria que através da coluna, muitas pessoas pudessem se animar a aprender o idioma e perceberem o quanto é bom saber japonês. E para os leitores do Muito Japão que não vivem no arquipélago, aí está a coluna que foi publicada na revista!




Às vezes, eu tenho a nítida impressão de que para trabalhar nas plataformas dos trens aqui no Japão, basta decorar uma lista de frases e pronto. Digo isso porque me impressiona quando, muitas vezes, troco de linha, de metrô para trem e de trem para metrô, de uma linha para outra completamente diferente e mesmo assim, as frases parecem que não mudam! Vejamos alguns exemplos e veja se você reconhece alguma!
A primeira é kakekomi jousha wo oyame kudasai que é quando eles pedem para não correr para embarcar. A palavra oyame kudasai nada mais é do que uma forma bem mais rebuscada, digamos, de dizer yamete kudasai ou simplesmente yamete que pode ter várias interpretações, entre elas: “Pare com isso!” ou “Não faça isso”. A palavra jousha é formada pelos ideogramas “embarcar” e “carro / veículo” que agregada à outra anterior - kakemoki -, que quer dizer “entrar correndo”, fica clara a ideia de “entrar correndo para embarcar”. Para a mesma situação, eles também usam outra frase parecida que diz muri na goshousha wo oyamekudasai. Ao pé da letra muri seria “impossível” e gojousha, nada mais é do que uma forma mais educada de dizer jousha suru que por sua vez quer dizer “embarcar” (em qualquer meio de transporte). Normalmente em uma conversação mais informal é mais comum ouvirmos desha ni norimasu (embarcar no trem) ou basu ni norimasu  (embarcar no ônibus), por exemplo.
Outra frase que eles adoram é gojousha ni naru to, naka no hou made osusumi kudasai. A primeira parte você já sabe, alguma coisa “embarcar”, não é mesmo? A expressão ni naru to pode ser traduzida neste caso como “quando”, ou seja, “quando embarcar, naka no hou made osusumi kudasai que quer dizer, “vá / siga para o interior / dentro do vagão”. A palavra osusume, você já deve ter escutado no restaurante, mas apesar de terem a pronúncia parecida, os significados são completamente diferentes! O osusume do restaurante vem da palavra susumeru que quer dizer “indicar”, “sugerir” e é por isso que muitas vezes a palavra aparece como em kyoo no osusume que seria a “sugestão do dia”. Já o osusumi da nossa frase em questão, este vem do verbo susumu que significa “seguir”, “prosseguir” ou “andar para frente”. A forma osusumi kudasai é mais formal que susunde kudasai. Os ideogramas também são diferentes!
Esta também é famosa! Quando não escutamos pelos alto-falantes, os funcionários da estação falam no microfone: Mamonaku desha ga mairimasu. Abunai desu kara, kiiroi sen no uchigawa de omachi kudasai. Vamos lá, em uma análise bem rapidinha, mas só para você entender o que está se falando. Mamonaku quer dizer “em breve”, “daqui a pouco”, “logo, logo”. Depois temos o sujeito e o verbo da frase densha ga mairimasu, ou seja, o “trem irá chegar”. O verbo mairimasu você deve conhecê-lo de outra forma: kimasu (vir, chegar, dependendo da frase). Na frase da estação o verbo está um pouco enfeitado, digamos, mas é o mesmo que dizer desha da kimasu. A segunda frase é mais simples. Fica assim: Abunai desu kara (como é perigoso) , kiiroi sen no uchigawa de (antes da linha amarela) omachi kudasai (por favor espere). Captou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário