18/08/2013

REVISTA ALTERNATIVA: JAPONÊS MANEIRO


No final do ano passado, eu tive o prazer de ter sido convidado para assinar uma coluna só minha na revista ALTERNATIVA, a melhor revista gratuita que há em português hoje no Japão, distribuída para todo o país. Para mim que já era leitor da revista há anos e gostando de escrever como eu gosto, foi uma honra. A coluna JAPONÊS MANEIRO estreou este ano e graças a Buda tem sido um sucesso! A intenção é mostrar o lado maneiro do idioma, mostrar curiosidades, fatos interessantes e dar dicas única e exclusivamente sobre a língua japonesa. Gostaria que através da coluna, muitas pessoas pudessem se animar a aprender o idioma e perceberem o quanto é bom saber japonês. E para os leitores do Muito Japão que não vivem no arquipélago, aí está a coluna que foi publicada na revista!



HIERARQUIA ATÉ NO IDIOMA

Na edição passada, falamos em hierarquia. Mais precisamente na hierarquia que vemos nitidamente refletida até mesmo em verbos da língua japonesa. Mostrei por exemplo, que a simples frase “Eu ganhei um livro” pode ter o verbo traduzido de formas diferentes para japonês, dependendo de quem você ganhou o livro. As principais variantes são entre alguém do mesmo nível que você, alguém de nível mais baixo ou mesmo mais novo que você ou se foi de alguém mais velho ou superior a você.
Mas os verbos “agemasu” (dar) e “moraimasu” (receber, ganhar) ou “sashiagemasu’, “itadakimasu’, para o caso de ter dado ou recebido algo de superiores são muito mais usados do que se imagina.
Não que tais verbos sejam mais usados que outros verbos como “comer”, “beber” ou “andar”. Não. Nada disso. O que acontece é que os verbos “dar” e “receber” possuem outro papel na gramática japonesa que vão além dos significados primeiros que são o de “dar” ou “receber” coisas. Para explicar em português claro, na língua japonesa é possível dar e receber “ações” e não somente “coisas”! Parece complicado e meio estranho, mas, vai por mim, pensando assim, ficará mais fácil entender.
Vejamos com exemplos práticos! Na edição passada, vimos frases como “Tomodachi ni hon wo moraimashita”, ou seja, “Eu recebi, ganhei um livro do meu amigo”. Agora vamos supor que você queira enfatizar que ele “comprou” o livro para você. A frase então ficará assim: “Tomodachi ni hon wo katte moraimashita”. O verbo “katte” vem do verbo “kaimasu” que seria “comprar”. Basta conjugá-lo no que chamamos em japonês de “Forma TE” (forma em que os verbos terminam em “TE”). Agora, vamos supor que você tenha comprado o livro no aniversário do seu amigo e você o tenha presenteado. Neste caso, a frase ficará assim: “tomodachi ni hon wo katte agemashita”, ou seja, se foi você que comprou o livro e o deu de presente a estrutura será o verbo “comprar“ (conjugado na Forma TE) + o verbo “dar”. A mesma estrutura pode ser usada com outros verbos mais corriqueiros. Por exemplo, se você emprestou uma borracha ao seu amigo, você pode dizer “tomodachi ni keshigomu wo kashite agemashita”. Mas se foi ele que te emprestou a borracha, você dirá: “tomodachi ni keshigomu wo kashite moraimashita”. Simples não?
Tente agora você mesmo imaginar que foi o professor que te emprestou a borracha! Primeiro você deve pensar no verbo, depois conjugá-lo na Forma TE e juntá-lo com o verbo receber. Pronto, o verbo emprestar em japonês é “kashimasu”, na Forma TE, fica “kashite” e, se no exemplo anterior, o verbo receber era “moraimasu” no passado “moraimashita”, agora você terá de levar em consideração que quem te emprestou a borracha foi alguém superior! Resposta: “sensei ni keshigomu wo kashite itadakimashita”. Muito bem!

Um comentário:

  1. Muito bom o texto! É engraçado notar essa atenção/preocupação com a hierarquia até no uso de palavras diferentes.Mas deve dar um trabalho saber todas....

    ResponderExcluir