23/09/2013

NO JAPÃO NÃO SE USA CARTÃO DE DÉBITO?!

57% dos brasileiros utilizam meios eletrônicos de pagamento em vez de dinheiro



Calma. Não vou escrever um post sobre o Brasil aqui no Muito Japão, mas precisava compartilhar com vocês leitores que achei muito interessante o fato de no Brasil estar se usando muito as máquinas que obrigam os lojistas a nos fazer a pergunta crucial de "Débito ou Crédito?". Isto porque no Japão, não há máquinas de débito e crédito. Quando eu conto isso, algumas pessoas não acreditam! Bom, talvez eu não deveria dizer que não há com tanta categoria, mas a verdade é que não se vê esse tipo de pagamento no Japão de hoje! A maioria ainda paga com dinheiro. O que não significa que não haja e-money. Cartões recarregáveis com dinheiro e até celulares igualmente recarregáveis, já existem, mas, porém, contudo, todavia e entretanto, eu arriscaria até dizer que 80% dos pagamentos em lojas e restaurantes são feitos com dinheiro vivo. Para complementar, aí vai uma reprodução de parte da matéria que li sobre pagamentos por meios eletrônicos.

MUNDO

O relatório mostra que a Bélgica é o país com maior quantia dos consumidores (93%) que realizam pagamentos por meios eletrônicos, seguida da França (92%), Canadá (90%), Reino unido (89%), Suécia (89%), Austrália (86%), Holanda (85%) e Estados Unidos (80%). Já a Indonésia (31%), Rússia (31%) e Egito (7%) acabam de iniciar o processo de substituição do uso do dinheiro vivo. Assim como o Brasil, a Polônia (41%) e a África do Sul (43%) já estão em fase de transição, e estão migrando rapidamente para o pagamento eletrônico.

5 comentários:

  1. Oi Caruso! Talvez essa cultura de utilizar dinheiro seja porque os japoneses, de maneira geral, têm um controle mais apurado dos seus gastos em relação aos brasileiros. E a probabilidade de se perder nos gastos utilizando cartão, seja de crédito ou débito é muito maior do que aqueles que só utilizam dinheiro em espécie, né?! Falando de economia de uma maneira geral, eles têm o hábito de poupar, diferente de nós brasileiros, já que não há incentivo para esse tipo de política aqui no Brasil, pelo contrário, aqui se fomenta o consumo e os empréstimos/financiamentos.
    E também tem outra coisa: no seu blog antigo você tinha citado o quanto eles são fissurados por segurança, você até mostrou uma tesoura super legal que tem várias lâminas pra picar papeis com informações confidenciais, lembra? E, por menor que seja a probabilidade, existe uma chance de informações pessoais vazarem quando se utiliza meios eletrônicos de pagamento...
    Sempre interessante vir aqui :)



    ResponderExcluir
  2. Mariana,

    Acho que quanto à questão da segurança, você pode ter razão realmente. Mas vou confessar que acho uma mão na roda essa máquina, viu? Porque ficar sacando dinheiro e ter sempre que ficar atendo na carteira da hora de pagar, não é legal. Aliás, agora que falei nisso, lembrei que tem a questão da falta de assalto no Japão que não implica em nenhuma ameaça para ninguém carregar dinheiro para cima e para baixo! Obrigado pela visita mais uma vez!

    ResponderExcluir
  3. Oi Caruso,
    Eu uso cartão de débito já há alguns anos e adoro.
    Concordo plenamente que sacar dinheiro e ter q ficar fuçando carteira pra pagar as coisa não é nada prático.

    O celular da Docomo tbm é ótimo pra pagar pequenas coisas no konbini e depois vem cobrado na conta do celular. Outra praticidade que a maioria das pessoas não faz uso!!

    abs

    ResponderExcluir
  4. olá Caruso, como funciona o sistema de empréstimo bancário no Japão? Qual é a forma de pagamento? Por exemplo: você pede um valor x e paga mensalmente? Uma quantia fixa, pré-determinada pelo banco? Valeu, gostei do bloG!

    ResponderExcluir
  5. O que é mais interessante é que durante os 15 anos que estive no Japão mesmo pagando em espécie, nunca tive problema de falta de troco, o que infelizmente não ocorre no Brasil e não por culpa somente do comerciante como costumam rotular na mídia e sim por falta de dinheiro para circular, com a desculpa que excesso de papel moeda geral muito custo. Eu já tive problema de falta de troco até num banco na hora de pagar uma conta. Aliás hoje até para pagar um boleto (tipo conta de luz) somos obrigados à abrir uma conta corrente (e pagar as baratíssimas taxas) porque senão o banco não aceita. Será que não é óbvio que dificilmente um banco brasileiro pode quebrar? A famosa maquineta que vemos por aí também é uma mão na roda principalmente para os bancos, porque quem tem comércio sabe o que é pegar um feriado de 4 ou mais dias e só receber depois. Agora esse dinheiro realmente fica só parado no sistema ou roda no mercado financeiro? E quem ganha? O usuário da conta? O comerciante que recebeu? Garanto que nenhum dos dois. E a desculpa de se usar cartão por questão de segurança é mais uma prova que somos por demais passivos, pois não pagamos impostos para ter segurança? Então temos que pagar pelo cartão também para ter uma falsa segurança?

    ResponderExcluir