26/02/2017

LÍNGUA JAPONESA・日本語

Para quem não sabe, eu, Julio Cesar Caruso, tenho o prazer de assinar uma coluna sobre língua japonesa em um das revistas mais famosas da comunidade brasileira no Japão, editadas em português e distribuída em todo o país, a revista ALTERNATIVA! Aqui no blog Muito Japão, você confere alguns dos meus textos que já foram publicados. Espero que gostem. 


ご存知ない方がいらっしゃるかと思いますが、私は日本国内発行されるブラジル人向けのフリーペーパーのコラムに携わっております。2週間1回ペースで日本語の文法や慣用句、発音まで様々なテーマを触れ、ポルトガル語で説明いたします。当ブログでは、既に掲載されたコラムを読んでいただくことができますので、気に入っていただければ幸いです。




Quando você vai ao teatro e as cortinas se abrem, significa o quê? Isso mesmo! Significa que a peça “começou”, não é mesmo? Agora, quando a peça termina, o que acontece com as cortinas? Elas se fecham correto? E quando elas se fecham, significa que a peça “terminou”, não é isso mesmo? Calma! Estas perguntas são realmente ridículas, eu sei, mas irão valer a pena quando eu disser que existem em japonês os verbos kaimaku suru e heimaku suru. O primeiro verbo é formado pelos ideogramas de “abrir” e “cortina” ( kai maku) e o segundo pelos ideogramas de “fechar” e “cortina” ( hei maku). Mas ambos são muito usados no sentido figurativo, quando por exemplo, um evento irá “começar” ou “terminar”. É possível se dizer em japonês: rio no orinppiku wa hachigatsu ni kaimaku suru, ou seja, “os jogos olímpicos do Rio começarão em agosto”.  Isto quer dizer que mesmo sem uma cortina física, é possível dizer que quando abrem, algo irá começar e quando termina, as cortinas, mesmo inexistentes, se fecham!

Se algum japonês lhe dizer que tem um “livro quente”, não se assuste, pois quando ele disser atsui hon, o que ele quer dizer é simplesmente que o livro é “grosso”, e não “quente”. O que acontece é que dependendo do ideograma, o significado de uma palavra pode mudar. Na fala, quando a pronúncia é a mesma e consequentemente não se pode visualizar o ideograma, a interpretação vai pelo contexto. O livro grosso em japonês seria atsui hon, com este atsui (厚い). Provavelmente o atsui que você conhece é quando está “calor” e o ideograma para esta situação é este outro (暑い). E ainda quando a comida está “quente”, o ideograma será um terceiro ideograma (熱い). O mesmo você verá em jishin, jishin e jishin, ou seja, 地震 (terremoto), 自身 (próprio) e 自信 (autoconfiança).  

Me chama a atenção algumas palavras em japonês que têm a mesma ideia das palavras em português. Dia desses traduzindo um texto me deparei com mais essa: musabetsu (無差別).  A palavra sabetsu é significa “discriminação”. Se acrescentarmos suru, teremos o verbo “discriminar”, ou seja, sabetsu suru.  Vale lembrar que se você sofrer discriminação, você pode reportar colocando o verbo na voz passiva, ou seja, sabetsu sareru, que no passado vira, sabetsu saremashita.  Voltndo agora ao X da questão, o primeiro ideograma de mu serve muitas vezes para negar ou seja dizer, neste caso “não-discriminação” que em português dizemos “indiscriminado” quando por exemplo há um bombardeio sem sequer definir um algo específico. Neste caso dizemos que se trata de um “bombardeio indiscriminado” e em japonês ficaria assim: musabetsu bakugeki (無差別爆撃). Aliás a mesma palavra é usada para quando em um esporte há o peso livre, sem definir  um peso apenas. Neste caso a palavra será musabetsukyuu que em português seria “categoria peso livre”. Fique atento para esta palavra nas próximas olimpíadas que “se abrem as cortinas” no ano que vem!


Nenhum comentário:

Postar um comentário