31/12/2014

FELIZ ANO NOVO: ANTES E DEPOIS DA PASSAGEM


Você sabia que em japonês o cumprimento FELIZ ANO NOVO muda depois da passagem de ano? Por isso quando alguém perguntar "Como que se fala FELIZ ANO NOVO em japonês?". Depende. É a resposta mais apropriada. Antes da virada do ano, normalmente dizemos yoi o-toshi wo o-mukae kudasai que literalmente quer dizer "receba um bom ano". Depois da virada,  cumprimento muda para shinnen akemashite omedetou gozaimasu. kotoshi mo yoroshiku onegai shimasu. Calma! Isso na verdade é uma frase-padrão que literalmente quer dizer "parabéns pela passagem do ano e espero poder contar com você neste novo ano". Muita gente diz isso tudo mesmo, durante a passagem ou ainda na primeira vez que se encontra com alguém já no ano novo. Mas claro que existem outras formas de abreviar isso tudo. Fala-se muito akemashite omedetou ou, os mais preguiçosos dizem apenas omedetou gozaimasu. Há também a versão dos jovens, mas que se você não é tão jovem, pode correr o risco de passar por ridículo e, dependendo para quem se está dizendo, pode representar falta de educação, mas que se diz: ake ome koto yoro, que nada mais é do que as primeiras sílabas da frase. Ah sim! O cumprimeiro antes da virada também tem sua forma econômica, que seria: yoi o-toshi wo!

COMERCIAL JAPONÊS: KAGAMI MOCHI

O comercial de hoje traz um produto que se vende nesta época do ano: o tal do kagami mochi (vide post anterior). O maneiro é que em lugar de dos bolinhos de arroz, sendo um grande e um pequeno, o produto consiste em uma embalagem de plástico que "imita" o enfeite original e dentro, os bolinhos de verdade!

O ORIGINAL



O INDUSTRIALIZADO



O grande apelo do fabricante, da marca Sato, que inclusive reforça na letra da música, diz respeito à reciclagem do lixo, ao mostrar que depois de consumidos os bolinhos de verdade, a embalagem pode ser facilmente amassada ou rasgada para ser jogada fora. Daí a letra da música dizer:

kagami mochi mochi
satou no mochi mochi
tabetara sugu sute raku poi poi

kagami mochi mochi
satou no mochi mochi
tabetara chigitte raku poi poi

...que em português seria algo como:

os bolinhos de arroz de ano novo são macios
os bolinhos de arroz de ano novo da Sato são muito macios
e depois de comê-los é muito fácil jogar fora a embalagem

os bolinhos de arroz de ano novo são macios
os bolinhos de arroz de ano novo da Sato são muito macios
e depois de comê-los você pode rasgar a embalagem e jogar fora


日本語

Para quem sabe japonês, no comercial, além do jogo de palavras mochi-mochi com mochi, onde o primeiro quer dizer "macio" e o segundo, "o bolinho de arroz" em si, parecem no comercial três verbos principais que são:

  • 捨てる (jogar fora)
  • ちぎる (rasgar)
  • 潰す (amassar)

30/12/2014

OS JAPONESES TAMBÉM SE VESTEM DE BRANCO NO RÉVEILLON ?

Joya no Kane. Kadomatsu. Kagamimochi. Toshikoshisoba. São algumas das palavras que representam a passagem de ano no Japão e que provavelmente voc[e vai ouvir falar por aí. Mas antes de explicar cada uma delas, eu te pergunto: Você sempre come lentilha na noite do dia 31? Você sempre pula sete ondas e despacha no mar oferendas à Iemanjá? Você sempre come romã? Pois então, eu pergunto isso porque por mais que se trate de religiões diferentes, estas são algumas das mil e uma coisas que "explicariam" o ano novo no Brasil, Mas você acredita mesmo que todas as pessoas do Brasil inteiro, mesmo sendo da mesma religião fazem tudo isso mesmo e da mesma forma? Todos se vestem de branco? Todos?

Onde quero chegar com isso!? Simples. Quero mostrar que por mais que se fale as mesmas coisas sobre o ano novo japonês, nem todas as pessoas do país inteiro fazem tudo à risca como mandam os costumes e, mesmo os que o fazem, não fazem todos da mesma forma. Claro que existe este "algo comum", mas gostaria que soubessem que nem todos os japoneses acreditam em tudo e nem todos fazem tudo que se fala sobre o ano novo do Japão. Há muita coisa meramente cultural, histórica e folcóclica. Muita superstição também! 

Veja o kadomatsu (foto ao lado), por exemplo. São este efeites feitos de bambu e pinheiro que "teoricamente" são colocados para que os deuses possam entrar na sua casa para trazer felicidade. Aí você que nunca foi ao Japão vai achar que por onde quer que ande pelo país nesta época do ano, vai ver um efeite destes e desta proporção em absolutamente todas as casas. Sinto muito, mas não vai ver! E SE mesmo assim avistar algumas casas com estes enfeites, verá que as proporções são das mais diversas. Em lojas e empresas costumam ter. Talvez no inteiror sejam maiores e mais originais do que os da cidade grande. Mas tem muita gente que passa o réveillon sem nem ver a cor! 

O mesmo posso dizer sobre o kagamimochi. Os bolinhos de arroz sobrepostos um sobre o outro com uma tangerina no topo (foto). Aí você que nunca foi ao Japão vai achar que as japonesas passam horas em casa no dia 31 para preparar a massa e fazer os bolinhos e montar o prato para a passagem do ano e que em todas as casas do Japão se faz o mesmo. Agora eu te pergunto: árvores de natal são vendidas nos mais variados tamanhos e preços, mas você acha mesmo que em todas as casas do Brasil inteiro tem uma árvore de Natal? Pois então, assim como as árvores de Natal, pode ser que haja gente que prefira manter a tradição e fazer uma árvore ou um kagamimochi de verdade, mas já há kagamimochi pronto nas lojas e bem indrustrializados para que o efeite típico de ano novo não falte em casa. 

Não tem ceia! Nem jantar especial no dia 31! O que muitos japoneses fazem é comer o toshikoshisoba, um prato feito com macarrão (soba) - toshikoshi significa passagem de ano - que representa vida longa, blá blá blá. Os que não ficam em casa, saem para visitar templos à meia-noite e lá, durante a passagem de ano, ouvem um sino tocar 108 vezes, que seriam o número de vezes que nos deixam livram dos pecados, segundo o budismo. mas falando em português claro, é um frio desgraçado e muita, mas muita gente mesmo que se aglomera nos templos - no frio, as vezes com neve - para receber o ano novo. Não tem música. Não tem roupa especial. Não tem bebida. Quanto mais famoso o templo, mais gente! Nunca fui. Nem pagando! rsrs....

Preferia fazer o que muitos japoneses ainda fazem, que é assistir ao tradicional programa musical de competição entre os músicos que fizeram sucesso ou se revelaram durante o ano, junto com os já tradicionais veteranos de guerra. O programa Koohaku Uta Gassen é tradicionalíssimo, antiguíssimo e passa impreterivelmente na noite do dia 31 e termina próximo da 0h quando a TV NHK, principalmente, mostra ao vivo a movimentação nos diversos templo do país juntamente com os 108 toques do sino por todo o Japão. Este evento seria o tal do joya no kane.

Fora todo o que se diz sempre sobre o ano novo japonês,  e que se você tiver interesse em saber mais, pode encontrar em qualquer guia sobre o arquipélago nipônico, o que posso dizer como brasileiro é que o clima é absolutamente outro. Fora que para os japoneses o mais importante é o dia 1, mais do que o dia 31, mas fora isso, ninguém se veste de branco, nas casas comuns não fazem contagem regressiva, não se abre champagne, não tem fogos, não se reúne os amigos, nada, nada disso! Se quiser passar de ano com alegria, contagem regressiva, festa, música etc no Japão, aconselho a se juntar com amigos - que não tenham voltado ao país de origem nessa época - e ir curtir tudo isso em um dos muitos eventos que são realizados no dia 31, a maioria esmagadora, voltados para gringos. Portanto, basta pegar qualquer revista para estrangeiros - se for em inglês melhor ainda - e verá que há inúmeras opções de eventos para passar o réveillon se divertindo, porque se for com japoneses em uma casa comum, num bairro comum, numa rua comum, o clima é bem "deprê". Bom, vou parar por aqui e desejar um ano maravilhoso para você que leu até aqui - muito obrigado por prestigiar o blog - e que seu 2015 seja simplesmente maneiríssimo!

FELIZ ANO NOVO !

*Para saber mais sobre o Ano Novo japonês, clique AQUI e acesse o "Guia das Tradições de Ano Novo no Japão". O site está em inglês. 

25/12/2014

日本語・NIHONGO

Faça o que eu digo mais não faça o que eu faço. Na sala de aula, a gente aprende que em algumas palavras não podem ser acrescentado o prefixo "o" de honorífico, aquele que você vê em omizu, osushi e assim por diante. Mas, é possível ver coisas como estas no Japão de hoje...


Vale lembrar que qualquer língua viva é passível de evolução, portanto, com a língua japonesa, que apesar de milenar, é uma língua viva, e não poderia ser diferente!

O QUE DIZ O AVISO?

otabako wa go-enryo kudasai
kemurikanchiki ga secchi sareteimasu

EVITE FUMAR
DETECTOR DE FUMAÇA INSTALADO

23/12/2014

COCA-COLA JAPAN EM CLIMA DE NATAL!

No site da Coca-Cola Japan, você pode escrever seu nome - até 9 letras - e criar um stamp para enviar alguém ou simplesmente compartilhar na rede social! São várias mensagens e, o melhor, é grátis!

"Quem você quer fazer feliz?"


O meu, eu já fiz!



O comercial de Natal da Coca-Cola no Japão, você assiste agora!

NOVO HAMBÚGUER DO MC DONALDS JAPÃO TEM "KANI"



KANI KOROKKE BAAGAA!

HAMBÚRGUER DE CROQUETE DE SIRI! 


Assista ao comercial veiculado na TV japonesa!


日本語・AUMENTE SEU VOCABULÁRIO!



包装紙・HOUSOUSHI・PAPEL DE PRESENTE





プレゼント・PUREZENTO・PRESENTE




クリスマスツリー・KURISUMASU TSURII・ÁRVORE DE NATAL




クリスマスカード・KURISUMASU KAADO・CARTÃO DE NATAL






トナカイ・TONAKAI・RENA





サンタクロース・SANTA KUROOSU・PAPAI NOEL





TEM NATAL NO JAPÃO?


Vai passar o Natal aonde? Essa é a pergunta que com certeza entra no ranking TOP 10 das perguntas que mais são feitas nesta época do ano. Mas, para mim, há uma pergunta que assume o posto número 1 do mesmo ranking: "No Japão comemora o Natal?"

Minha vontade era de responder, "depende". Mas imagino que assim, a conversa irá se estender e, por isso, na maioria das vezes, acabo dizendo, "não, não como nós", até porque o Japão não é um país predominantemente católico. Mas muitas vezes, dizer apenas simplesmente "não, não comemora", imagino eu que faz a pessoa imaginar que não há sinal de Natal no Japão e que os japoneses nem sabem o que é uma árvore de Natal, não conhecem o Papai Noel, não conhecem as renas etc. Não é verdade!

Para não começar a explicação comentando a chegada dos Jesuítas ao arquipélago, o que posso dizer é que no Japão o Natal é meramente comercial, capitalista mesmo! É tudo para vender mais! É possível ver sim árvores de Natal, principalmente nos shoppings - claro, pólo do capitalismo - e ruas enfeitas com temas natalinos. Há também muitos "eventos" que exaltam as iluminações de Natal. A de Kobe, Luminarie (foto principal), é um dos mais tradicionais no final de ano. Mas se você não vai à Copacabana porque tem muita gente, então esquece, porque lá é igual! mas há iluminações e árvores por toda a cidade! A Karina Almeida tirou esta foto da árvore de natal azul, montada no aeroporto de Narita!

Também não posso ignorar a porção católica do Japão que comemora o Natal, ou seja, os japoneses que são realmente católicos e entendem o sentido do Natal, o significado da comemoração etc, grupo este, onde se incluem os estrangeiros que vivem no Japão e que mesmo assim, comemoram o Natal como sempre comemoraram, como nós brasileiros, peruanos, argentinos, filipinos etc. Em algumas igrejas católicas - sim, no Japão tem igreja - são rezadas missas em português, inglês, espanhol, tagalo (idioma das Filipinas) etc. Nestes lugares sim, eu diria que o Natal é mais parecido com o que conhecemos.

De resto....

Não tem amigo-oculto.
Não tem ceia de Natal.
Não tem folga no dia 24. 
Não tem cartinha pra Papai Noel.
Não tem Peru
Não tem Chester
Não tem rabanada.
Não tem fio de ovos
Não tem troca de presentes à meia-noite.

...nada disso!

O mais tradicional do Natal, aliás, são duas coisas: o bolo de Natal e o motel! Isso mesmo! No Natal, os japoneses têm o costume de comer um bolo de natal (christmas cake) que é vendido até a última hora - sim, no Japão tem atrasildos tbm! Mas os melhores são comprados por encomenda que começa meses antes e são entregues no dia especial! 


O bolo não varia muito. É sempre um bolinho - literalmente "inho" - que quase sempre é redondo, tem uma plaquinha de chocolate, alguns pingos de creme, uns enfeites natalinos e vem numa caixa. Dificilmente você vai achar algo fora dessa linha ou que não tenha nenhum destes elementos. 

E o motel, é simples. A data para os japoneses, é muito mais romântica do que familiar. Muito mais! A pergunta das revistas para meninas é "Com quem você irá passar a noite de Natal?" Portanto, o casais de pombinhos já formados, lotam restraurantes e moteis. 

Enfim, para nós brasileiros ou para quem vem de um país católico onde o natal é realmente comemorado em um contagiante clima natalino que paira no ar, é nessa época do ano que a saudade da terra natal e dos amigos e familiares que estão longe alcança o ápice. Não ter essa coisa de família, confraternização de amigos, colegas de empresa, nada disso. As pesssoas não desejam "Feliz Natal" umas as outras, nem mesmo quando você revê um conhecido na rua ou compra alguma coisa em uma loja nessa época.  

Para terminar, desejo a todos os leitores do Muito Japão, católicos ou não, ateus ou não, enfim, todos, que tenham um FELIZ NATAL ! Em japonês como é que fala!? Até isso eles não têm e tiveram que importar do inglês. Os japoneses dizem merii kurisumasu. Mas que também não é dito como forma de cumprimento a ninguém! Não como nós.... 


PARTICIPE!!

Você mora no Japão e montou uma árvore de Natal? Tem um Papai Noel perto da sua casa? Você participou de alguma Ceia de Natal autêntica no Japão! Mande hoje mesmo sua foto-testemunho "No Japão tem Natal sim!" para muitojapao@gmail.com! As melhores serão publicadas aqui no blog! Não esqueça de dizer seu nome, de onde você é no Brasil e onde você mora no Japão! 

18/12/2014

IDEOGRAMA DO ANO DE 2014

Como acontece todos os anos a Associação de Proficiência em Ideogramas do Japão realiza uma cerimônia especial onde um monge pinta um ideograma gigante, ideograma este que resume o ano que passou. Este ano, o ideograma escolhido foi o ZEI ou 税 que significa imposto. Entre vários motivos, é possível destacar o aumento do imposto sobre consumo de 5% para 8% depois de longos 17 anos. Fora toda a política japonesa em torno do tema "imposto", PIB e afins.


01/12/2014

PROIBIDO ! 禁止!禁止!禁止!


Não. Angélica e Sidney Magal não estão no Japão. Apenas me lembrei de algo Muito Japão quando vi os dois passeando por um shopping no Rio. Talvez até eu já tenha até comentado isso aqui no blog, mas como poucas pessoas não costumam acreditar quando eu conto isso e toda vez que eu volto a ver uma cena parecida eu me recordo disso, resolvi comentar novamente. Reparem na foto abaixo!


Viram algo de estranho? Não?! Reparem agora no carinha de óculos escuros com o celular na mão! Pois é! Talvez para nós brasileiros seja algo até que óbvio mas , no Japão, tirar fotos de artistas em locais públicos, eu não diria que seja proibido, mas que tem gente que não permite, isso tem! OK. Explico!

É que no Japão, mesmo Tóquio, não chega a ser como Copacabana, onde as pessoas estão acostumadas a ver um global, mas algumas vezes é possível ver artistas dando entrevistas ou passeando por locais comuns em vias públicas, em geral, para mostrar um restaurante que frequenta ou mesmo para apresentar o bairro onde passou a infância. Enfim, muitas vezes vimos gravações de programas na rua e consequentemente, artistas famosos caminhando livremente. 

Acontece que além dos câmeras, encarregados de som, iluminação, microfones e etc, tem sempre um carinha pago para estragar prazer! Isso mesmo. Tem sempre uma pessoa que acompanha as gravações - volto a dizer, em ruas públicas - e que presta a atenção ao redor do artista se há alguém fotografando a cena ou não. Caso tenha, ele gentilmente se coloca na frente ou tapa a lente com as mãos e pede para desligar ou guardar o celular e não fotografar o artista! Isso mesmo. Na foto que você viu neste post, há um carinha tirando foto com o celular, o que imagino que haja outras mil pessoas fazendo o mesmo já que são dois artistas famosos em um shopping carioca. Mas se fosse no Japão isso não seria possível! Na hora iria brotar um carinha do chão e impedir que sejam feitas fotos do artista - volto a dizer, em vias públicas. Chega a ser cômico! Ver uma pessoa junto do grupo e só analisando o redor dos artistas e atento para caçar pessoas que estejam com o celular na mão e fotografando. Na mesma hora ele corre para cima da pessoa e "pede" para guardar o celular...volto a dizer, em via pública!